sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Lamb Of God no Rock In Rio? Segundo o Jornal Destak sim!


O Jornal Destak, sempre atento às novidades no mundo do showbizz apurou e confirmou junto a organização que a banda Lamb Of God acertou sua participação em uma das noites dedicadas ao gênero no festival, que acontece de 18 a 20 e 24 a 27 de setembro.

Eles irão se juntar aos já confirmados Metallica, Faith No More, Slipknot, System Of A Down, Queens Of The Stone Age e Hollywood Vampires

 O último disco da banda, "Resolution", foi lançado em 2012. Boa notícia para os amantes do gênero.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Ex baterista do Pearl Jam é procurado pela polícia


Dave Abbruzzese foi baterista do Pearl Jam entre 1991 e 1994, e chegou a gravar os discos Vs. (1993) e Vitalogy (1994), tendo entrado na banda um dia antes do lançamento de Ten (1991) e saído na data oficial do álbum de 1994.

Em 1997 ele chegou a participar de sessões do Guns N' Roses para o disco Chinese Democracy mas nenhum material dessa época foi disponibilizado, e agora o cara está encrencado.

Abbruzzese foi acusado de posse de substância controlada, e um crime pior, que pode dar até prisão perpétua, que é o de fabricação ou distribuição de substância controlada. O músico de 46 anos é procurado pela polícia e há inclusive uma recompensa de mil dólares para quem der informações a seu respeito.

Parece cena de Breaking Bad.

Fonte: CoS

Filme contará história de Brian Wilson


Love & Mercy é o nome do filme que será lançado no dia 5 de junho e que conta a história de Brian Wilson, líder e principal compositor do The Beach Boys. Dirigido por Bill Pohlad, traz Paul Dano (Os Sopranos) e John Cusack (Alta Fidelidade) no papel de Wilson, além de Elizabeth Banks (Jogos Vorazes) e Paul Giamatti (Rock Of Ages) no elenco.

Veja o trailer abaixo e segure a emoção.


Helloween anuncia novo álbum


O Helloween anunciou que irá lançar no dia 29 de maio seu décimo quinto disco de estúdio, intitulado "My God-Given Right". O trabalho da banda alemã tem produção assinada por Charlie Bauerfeind (Angra, Gamma Ray, Blind Guardian).

"My God-Given Right" é o sucessor de "Straight Out Of Hell" de 2013.

Nação Zumbi lança releitura de suas canções através da Rdio Sessions


Via TMDQA

Rdio Sessions é uma iniciativa do serviço de streaming Rdio que tem como objetivo levar bandas a um estúdio onde elas gravam releituras de suas canções de forma intimista.

Os registros são lançados em um EP na plataforma e torna-se uma grande chance para o fã da banda ter uma variação do material já conhecido em formato fechado, bonito com capa, vídeo de bastidores e tudo o mais.


A mais nova banda a participar da versão brasileira do projeto é a Nação Zumbi, e através das sessões será possível ouvir releituras de grandes canções como "Manguetowns", "Quanto A Mará Encher" e trabalhos mais recentes coo "Cicatriz".

Outra mais nova que ganhou sua versão é "Defeito Perfeito", com direito a um vídeo das gravações, que você vê logo abaixo.

Para ouvir a sessão, é só clicar neste link aqui.


quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Whitesnake: Um álbum de regravações da fase de David Coverdale no Deep Purple


Em maio o Whitesnake irá lançar seu 12º álbum de estúdio e ele se chamará "The Purple Album". O disco trará releituras de faixas clássicas do Deep Purple à época em que David Coverdale era o frontman da banda.

Sobre isso Coverdale declarou o seguinte: "É um tributo. Uma homenagem. É um grande muito obrigado de mim para o Deep Purple pela oportunidade que ganhei há 40 anos atrás. Com eu disse para Ritchie [Blackmore], vocês me colocaram em uma incrível jornada que continua até hoje e eu não poderia ter pedido por melhores professores. A University Of Deep Purple foi uma extraordinária, maravilhosa escola para aprender. Estamos ansiosos para tocar estas músicas ao vivo".

O tracklist de "The Purple Album" você acompanha abaixo:

01. Burn
02. You Fool No One (interpolating Itchy Fingers)
03. Love Child
04. Sail Away
05. The Gypsy
06. Lady Double Dealer
07. Mistreated
08. Holy Man
09. Might Just Take Your Life
10. You Keep On Moving
11. Soldier Of Fortune
12. Lay Down Stay Down
13. Stormbringer

Deluxe Edition Bonus Tracks

14. Lady Luck
15. Comin' Home

DVD Content:
* "Lady Double Dealer" - Music Video
* "Sail Away" - Mix Music Video
* "Stormbringer" - Music Video
* "Soldier Of Fortune" - Music Video
* "The Purple Album" Behind The Scenes
* "The Purple Album" EPK

E eles também já divulgaram a primeira faixa, que você assiste logo abaixo. Uma versão mais moderna de "Stormbringer", com outro tom e outra afinação. Afinal de contas, depois de 40 anos, a voz do cara não é mais a mesma.


terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

YES: 90125 e Big Generator, clássicos perdidos no tempo


Em 1982, passado mais de um ano depois do fim do Yes, Chris Squire e Alan White formaram um novo grupo, chamado Cinema, junto com o guitarrista Trevor Rabin (do Rabbit). O primeiro tecladista do Yes, Tony Kaye foi chamado de volta para participar, já que Squire acreditava que a técnica mais direta de Kaye iria cair bem para a banda.

Rabin, que já era um artista solo com três discos lançados, ajudou a compor "Owner Of A Lonely Heart". Seu direcionamento pop deu a música um apelo comercial o suficiente para fazê-la ter destaque na era MTV, mas ainda assim ele trazia alguns aspectos do estilo original do Yes - em especial, as harmonias vocais.

Originalmente, os vocais seriam de Rabin e Squire, mas no começo de 1983, Chris Squire tocou para Jon Anderson algumas músicas do Cinema em uma festa em Los Angeles. Impressionado por músicas como "Leave It", Anderson aceitou o convite de Squire de cantar nesse novo projeto, resultando numa reformulação "acidental" do Yes.


Muitos fãs chamam essa formação de "Yes do Oeste", devido à residência da banda em Los Angeles e sua nova sonoridade, típica de bandas pop americanas. Essa versão do Yes também é chamada de "Generators", originado do nome do segundo disco dessa formação, "Big Generator". A nova sonoridade desagradou muitos fãs, por abrir mão de suas características originais para se valer de músicas próprias para se tocarem em rádios. No entanto, muitos fãs do Yes gostam dos dois períodos.

O primeiro disco da banda desde a reunião, "90125" (produzido pelo ex-vocalista Trevor Horn), apresentou uma mudança radical em relação a seu som original. Era mais visceral, com efeitos eletrônicos modernos para a época. 90125 foi o disco do Yes mais bem-sucedido, eventualmente vendendo mais de seis milhões de cópias e assegurando um longo tempo de durabilidade para o Yes, com uma turnê que durou mais de um ano. A música "Owner Of A Lonely Heart" foi um sucesso em várias paradas (e sampleada inúmeras vezes desde então), inclusive no Brasil, onde até hoje é talvez uma das músicas mais famosas da banda. Com essa formação a banda apresentou-se no festival Rock In Rio em 1985, para um público de 200 mil pessoas.

O tecladista que aparece no videoclipe da música é Eddie Jobson. O Yes também teve sucesso com "Leave It" e "It Can Happen", e ganhou um Grammy por melhor instrumental de rock ("Cinema", uma jam session curta e complexa), sugerindo que o grupo não abandonou por completo sua musicalidade em troca de sucesso comercial, como alguns fãs alegam.

O álbum de sucesso também gerou um vídeo (9012Live) e um disco ao vivo (9012Live: The Solos) que incluía peças solo de Anderson, Rabin, Squire e Kaye, além de uma jam entre Squire e White.


Em 1986 o Yes começou a gravar "Big Generator". Infelizmente, problemas internos (principalmente entre Squire e Anderson) ameaçavam o encerramento do processo de gravação, e Trevor Rabin acabou finalizando sua produção. Apesar de Big Generator (1987) não ter sido tão bem sucedido quanto 90125, ainda assim conseguiu vender dois milhões de cópias. Alguns fãs do Yes consideram Big Generator como sendo mais fiel ao som original do Yes do que seu predecessor, graças a um esforço concentrativo de gravar músicas mais longas como "I'm Running" do que as faixas mais pop.

"Love Will Find A Way" se saiu moderadamente bem nas paradas, juntamente com "Rhythm Of Love", quase passando o Top 40. A turnê de 1988 terminou com um show no Madison Square Garden, como parte das comemorações de 40 anos da Atlantic Records, mas deixou os membros do Yes exaustos e frustrados uns com os outros.

Os dois discos são clássicos perdidos no tempo, mas com certeza um complementa o outro. Dois discaços indispensáveis pra quem curte esse som mais etéreo, mais cru do Yes, com leves toques eletrônicos, característicos dos anos 80.