quinta-feira, 28 de abril de 2011

Wasting Light.

O cara era baterista da melhor banda e uma das mais originais que surgiram na década de 90, a Nirvana. Depois ele só montou uma das bandas mais importantes da atualidade, a FOO FIGHTERS. Estou falando do figura Dave Ghrol.

O cara é um músico excepcional. Além de tocar batera de uma forma muito criativa, é compositor e toca guitarra. O cara é multifuncional. Gravou um disco com a Queens of the Stone Age, montou um super grupo chamado Them Crooked Vultures que, além dele e do próprio Josh Hommes da QOTSA, tem o mestre do baixo JOHN PAUL JONES que era nada mais nada menos que o baixista da LED ZEPPELIN.

Entre tantos projetos, ele encontra tempo pra lançar um (senão O) melhor álbum da FOO FIGHTERS, intitulado WASTING LIGHTS.


Em uma recente entrevista, ele foi perguntado sobre o que tinha ouvido atualmente e quais foram as influências ao compor Wasting Lights. Sabe qual foi a resposta? BEE GEES e ABBA (principalmente).

Isso mesmo. Ele disse que as linhas de vocais e os refrões destas duas bandas foram o que mais o inspiraram a compor este disco. E, se você conhece um pouco de música ou tem um ouvido um pouco mais apurado, vai notar todas estas influências neste disco. Por falar no disco, vale a pena ressaltar que ele foi gravado inteiro de forma analógica, ou seja, em rolo de fita, como eram feitos os discos da década de 70 e por aí. E, se você é fãzáço da banda, ao adquirir o disco original, ainda ganha de brinde um pedacinho de um dos rolos das fitas, pra guardar como recordação. Isso é que é jogada de marketing.

O disco ainda conta com a produção de Butch Vig, que foi o cara que produziu Nevermind da Nirvana. Por falar em Nirvana, a faixa número 11, I Should Have Know, tem a participação de Krist Novoselic, ex-baixista da Nirvana. E conta ainda com Pat Smear, que era guitarrista de apoio da Nirvana e também foi o primeiro guitarrista da Foo Fighters. Ele volta agora como membro oficial.

Arrisco a dizer que já o melhor disco do ano. Posso estar enganado mas acho que não. Se você é fã de carteirinha de um bom disco de "roquenrou", vale a pena baixar no link Experimente. Também vou deixar o link pra o show que 50 minutos que eles fizeram no estúdio 606 que, por um acaso, é deles mesmo, onde tocam o disco na íntegra. E também o video pra música ROPE, que é o primeiro single da banda.

É isso, aproveite.

Link pro YouTube: Aqui

Experimente:


video

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Rock N' Roll. Quem não curte, sai de banda.

Sempre falei aqui no blog que minha intenção é garimpar aqueles discos que ficam esquecidos e mostrar a quem acompanha o Aumenta que existe muita coisa boa perdida por aí. E quem disse que só os "importados" é que tem que passar pelo blog?


Pois bem. Vou falar de um cara que tem uma importância "tremenda" no rock brasileiro. E quase não levou os merecidos créditos pela sua obra. Estou falando do eterno parceiro do Rei, o Tremendão Erasmo Carlos.




É, ele mesmo. Pra quem não conhece, ele tem muita música bacana, ele é a alma viva do Rock Brasileiro, antes de Mutantes, antes de Raul Seixas. E ele tem uma fase muito bacana meio puxada para o Soul na década de 70.


O disco que ele lançou em 1970 chamado Carlos, Erasmo, normalmente figura nas listas dos discos mais importantes, ou aqueles que você tem que ouvir antes de morrer. Isso mesmo. Não dá pra ficar sem citar esse cara que influenciou uma legião de músicos e que ainda hoje faz shows por aí. E que inclusive é uma das atrações do Rock In Rio 2011.


Portanto, se você tem a cabeça aberta, não tem nenhum tipo de preconceito musical, fique a vontade para ouvir esta pérola do cancionário popular brasileiro. Rock On!


video