terça-feira, 28 de abril de 2009

INÉDITO





Após várias reuniões, vários prós e contras, PATO BRANCO começa a entrar no circuito internacional de shows. Já não era sem tempo. Nossa cidade é reconhecida nacional e internacionalmente. Veja, temos um jogador no MILAN (ALEXANDRE PATO); Temos uma empregada que passa em rede nacional todas as terças-feiras (BOZENA DE TOMA LÁ DA CÁ); Temos um dos melhores goleiros do mundo (ROGÉRIO CENI - SÃO PAULO); e temos a banda que vai ser a maior banda do Brasil (RADIOPHONICS).


Então nada mais justo que nós, patobranquenses com muito orgulho estivessemos entrando na rota de shows internacionais. E o primeiro acontecerá neste dia 04/06, no clube Pinheiros, a partir das 22h. NAZARETH, uma das grandes bandas do Hard Rock internacional vai passar por aqui em sua LATIN AMERICAN TOUR 2009. Pra quem ainda não sabe, lá se vão alguns sucessos da banda: LOVE HURTS, DREAM ON, RAZAMANAS, HAIR OF THE DOG, TELEGRAM.
Os primeiros 1000 ingressos a partir de R$ 30,00 na ABB (Associação Bar do Beti - http://www.calibeti.blogspot.com/) grande amigo e lugar onde eu passo infinitas horas divagando sobre diversos assuntos, e onde a galera Cultural de Pato Branco bate ponto (literalmente).
É esperar pra ver. E aguardem, ainda virão muitas novidades por aí.

domingo, 26 de abril de 2009

LIVE AND LET DIE!


Fiquei saudosista ao rever este filme. Bom filme e boa trilha sonora. Vale a pena

Podcast#4

Mais uma edição de nosso Podcast. Aqui vamos do ecletísmo ao subversivo, ao lado B, ao lado mais dark, quando ouvimos Joy Division, mas também nos preocupamos com a atualidade (Faith No More, Radiohead), esta última que esteve no Brasil recentemente. Bem sem mais delongas, vamos ao que interessa. Enjoy!


01 – BEATLES – BECAUSE
02 – DUSTY SPRINGFIELD – SON OF A PREACHER MAN
03 – THE BYRDS – IT WON’T BE WRONG
04 – RADIOHEAD – KARMA POLICE
05 – THE CLASH – LONDON CALLING
06 – JOY DIVISION – TRANSMISSION
07 – PAUL MCCARTNEY & WINGS – BAND ON THE RUN
08 – FAITH NO MORE – MIDLIFE CRISIS

Experimente:

sábado, 25 de abril de 2009

ANGEL DUST


Em meio à grandes expectativas, Angel Dust foi lançado em 1992 e apontava para outras direções. Descartava definitivamente o rótulo funk metal e vinha recheado de temas mais mórbidos e sombrios. Propositalmente designado para chocar os fãs temporários, a banda apostou em sonoridades inusitadas, longe do hit fácil Epic que carimbava a banda até aquele momento. Diferente do que aconteceu com The Real Thing, em Angel Dust Mike Patton participou de todo o processo criativo do disco, e pôde exercitar o experimentalismo e o gosto pelo bizarro que marcou o seu trabalho no Mr. Bungle. Musicalmente a banda também mostrava evolução, incorporando elementos eletrônicos e teclados mais climáticos, proporcionando uma atmosfera cinematográfica a algumas canções. Os videoclipes coloridos do álbum passado deram lugar a videos sombrios, que faziam questão de negar o lado "sex-symbol" que o líder possuía na época. A crítica americana não mostrou muito entusiasmo e o disco acabou não tendo a mesma repercussão de The Real Thing. Nos demais países, no entanto, o Faith No More continuava enorme, e seu lugar privilegiado nas paradas de sucesso era garantido pelos singles de "Midlife Crisis" e "A Small Victory". O terceiro single de Angel Dust foi para uma música que na verdade não estava no disco: "Easy", o cover dos Commodores que a banda vinha tocando ao vivo há tempos e que finalmente ganhou uma versão de estúdio. "Easy" foi devidamente incluída em Angel Dust nas prensagens subseqüentes ao lançamento do single.


Angel Dust rendeu mais uma turnê gigantesca pelo mundo todo. A turnê durou cerca de dois anos onde eles, além de promover shows próprios, tocaram em festivais e abriram shows para as mega-bandas Metallica e Guns N' Roses.

Ao invés de encarar o compromisso como oportunidade de consolidar a banda em novos públicos, o Faith No More usou seu tempo para provocar a audiência com sessões de garrafadas, insultos e sacanagens principalmente através de Patton. O saldo do período foi uma grande repulsão por parte dos adoradores de plantão, aqueles que há pouco tempo atrás veneravam os autores de Epic e ali não entendiam o não-comercialismo sarcástico da nova fase. Por outro lado, os fãs que seguiram em frente tornaram-se verdadeiros cultuadores do álbum e da banda.

quinta-feira, 23 de abril de 2009

BRASIL, MOSTRA A TUA CARA!

video

Amigos. Gostaria de um tempo de todos para um desabafo. Recebi este vídeo no meu email a poucos dias, mas até então não tinha dado muita atenção. Pois bem. Hoje resolvi ver qual era a desse vídeo. E qual não foi a minha surpresa ao vê-lo.

Sou um brasileiro, trabalhador, batalhador como muitos outros que acessam o meu blog assim como o de meus amigos e contatos. Sei das dificuldades que estamos passando com o decorrer desta crise. Também sei que todos somos guerreiros e que sempre achamos uma maneira de nos afastar da crise, de combatê-la, por que somos brasileiros e não desistimos nunca. Como diz Jorge Ben Jor, um país tropical, abençoado por Deus!

Pois bem. Esse vídeo mostra o quanto existe gente hipócrita neste mundo. É inadimissível ter que ver uma palhaçada dessas. Esse tipo de gente merece cadeia. Eu estou muito puto com essa situação. Olha, se o cara quiser "rasgar" dinheiro, tudo bem, mas aí passar numa rede de televisão e o cara fazer sensacionalismo, aí já é demais.

Peço desculpas a todos os que acessam o blog, mas eu não tolero certas atitudes. Cada um é cada um, eu sei. Mas já diria o grande poeta CAZUZA: BRASIL, MOSTRA A TUA CARA, QUERO VER QUEM PAGA, PRA GENTE FICAR ASSIM!

terça-feira, 21 de abril de 2009

Podcast#3

Nessa edição homenagearei Kurt Cobain e seu Nirvana com um clássico. Também temos coisas novas como Radio Moscow, uma banda muito legal da nova safra do "roquenrou". E também não nos esqueçamos dos clássicos. Boa pedida.

01 – ALICE COOPER - SCHOOL’S OUT
02 – JJ CALE - AFTER MIDNIGHT
03 – RADIO MOSCOW - LUCKYDUTCH
04 – STEVE WONDER - SUPERSTITION
05 – TRAFFIC - FEELIN ALRIGHT
06 – NIRVANA – IN BLOOM

Experimente:

SCHOOL'S OUT FOR SUMMER!



Ele nasceu em 04 de fevereiro de 1948, sobre o nome de Vincent Furnier em Detroit, Michigan. Quando pequeno descobriu que sofria de Asma, o que leva a sua família a realizar diversas mudanças durante a sua infância. Aos 10 anos, seu pai é nomeado ministro da Igreja de Jesus Cristo, levando sua família a última mudança, desta vez para Phoenix, para ajudar os nativos da região.

10 anos depois, Vincent começa a adoecer. Após uma cirurgia, descobrem que ele tem peritonites e apendicite. Muito enfraquecido, passa por uma cirurgia (que lhe deixa as famosas cicatrizes que são visíveis no poster do álbum Killer, de 1971). Nesse tempo, ele fica tão debilitado que passa um ano na cama vendo televisão o que lhe confere um gosto muito grande por filmes.

É meu amigo, essa história parece coisa de cinema, mas aconteceu mesmo. Vincent Furnier, mais conhecido pelo seu pseudônimo de ALICE COOPER é uma das lendas vivas do Rock N' Roll! Após 4 discos que pouco fizeram (Pretties For You - 1969, Easy Action - 1970, Love It To Death - 1971 e Killer - 1971), veio o que pra mim é disco que representa o som do Alice Cooper: SCHOOL'S OUT! A partir do disco Love It To Death é que começam a surgir as "teatralidades" do grupo. Passam a incluir a famosa cobra, camisa de força, e as primeiras formas de morte do vocalista. Depois de algumas tentativas se decidem pela cadeira elétrica.

Durante a turnê do álbum Killer, começam a surgir as marcas que seriam associadas ao nome Alice Cooper para sempre: forca, maquiagem com apenas um risco em cima e um risco em baixo, violência no palco ("Killer"), bebês sendo mortos ("Dead Babies"), etc. A banda já havia mostrado que viera para ficar, e chega a vez de, em 1972, lançarem o álbum "School’s Out".

O álbum precisava de um pequeno empurrão para alavancar as vendas, e Shep Gordon sabe como fazê-lo. Encomenda mil calcinhas de material inflamável da Inglaterra, produto proibido nos EUA. Ele acerta tudo para que as calcinhas não passem pela fiscalização sem serem apreendidas, e no dia seguinte os jornais do país inteiro mostravam que o novo álbum de Alice Cooper, "School’s Out", traria calcinhas em seu interior.

Após lançarem o álbum ele chega à segunda posição nos EUA e Inglaterra. O single da música homônima ao álbum chega a primeiro lugar, e é o mais vendido pela Warner Bros na época. A música, de acordo com Alice, tenta capturar o que seriam os três últimos minutos de aula no último dia antes das férias. O álbum também traz "Gutter Cats vs. The Jets", baseada na violência do filme "Laranja Mecânica", que traria brigas ao palco quando fosse tocada ao vivo.

Alice Cooper sempre mostrou-se um bom ator e influenciou muitas outras bandas que viriam a surgir logo depois (quer coisa mais alicecooperiana que a maquiagem do Kiss? Ou os riffs de guitarra de Slash, que inclusive já gravou um diversas faixas com o próprio e participou de um sem número de shows.)

Bem, sem mais delongas, é hora de experimentar. Como diz a frase final da música homônima: SCHOOL'S OUT COMPLETELY! Enjoy!

segunda-feira, 13 de abril de 2009

domingo, 12 de abril de 2009

JIM CARREY

Ele representa a nova safra de atores que surgiram nos últimos tempos. Junto com o Ben Stiller e Adam Sandler considero os melhores humoristas da nova geração. Abaixo um vídeo muito engraçado do Jim Carrey. Detalhe pra música do Haddaway (nossa, peguei pesado!). Muita gente vai se identificar com o vídeo, tenho certeza.


video

sábado, 11 de abril de 2009

RADIOPHONICS - A melhor do Brasil!


Gostaria de tomar o tempo de vocês para fazer um "merchan". Pra quem não sabe além de blogueiro, funcionário de uma empresa privada, também sou baixista da banda Radiophonics. Recentemente lançamos nosso primeiro cd Demo, nosso filho mais precioso. Estamos muito confiantes em nosso trabalho, tanto que já participamos de concursos como o CALDEIRÃO DO HUCK onde ficamos em 4º lugar em número de comentários. E fazer parte desse concurso abriu várias portas e oportunidades pra gente. Também tocamos na primeira edição do festival HUMAITÁ, que acontece no Rio de Janeiro, onde tocamos no PALCO VIRTUAL, entre tantas outras andaças por esse nosso país abençoado por Deus, mas que beleza e que, em fevereiro, tem carnaval e que eu não tenho um fusca nem uma nega chamada Tereza, mas tenho um violão pra passar boa parte de meu tempo.
Agradeço desde já a todos que estão acreditando em nosso trabalho, aos meus amigos de longa data e principalmente aos três que me incentivam pra continuar essa batalha: Digão - Vocalista/Guitarrista, Marcelo - Baterista e Jabuti - Guitarrista que, junto comigo, Brod - Baixo, fazemos parte daquela que vai ser a melhor banda do Brasil. Agradeço também ao grande amigo Giareta e, principalmente a Juh minha namorada, por me aguentar e principalmente por estar ao meu lado incentivando em todos os momentos. É esperar pra ver.,
Clicando aqui você vai para nosso myspace. E nesse link, você vai para a TRAMA VIRTUAL onde pode baixar nosso cd completo. Enjoy!









Podcast#2

Nessa edição do Podcast, voltamos ao passado mas sem esquecer do presente. Como diz meu amigo Atlantic do Basf 90 Minutos (http://www.basf90minutos.blogspot.com/), "Sem respeitar as barreiras do tempo/espaço, atravessamos décadas e países com a maior cara-de-pau". Enjoy!

Podcast#2

01 - RORY GALLAGHER – DO YOU READ ME
02 - ECHO & THE BUNNYMEN – LIPS LIKE SUGAR
03 - TRAPEZE – MAKES YOU WANNA CRY
04 - ATOMIC ROOSTER – THE ROCK
05 - BLACK CROWES – HARD TO HANDLE
06 - COMMODORES – BRICK HOUSE
07 - KRAFTWERK – THE HALL OF MIRRORS

Experimente:

sexta-feira, 10 de abril de 2009

BLUES e ROCK N' ROLL!


"Mesmo que você não goste do gênero, é preciso ouvir muito blues para se ter consciência de quanto tempo é necessário até se chegar a ser um grande guitarrista. Eles é que entendem do riscado". Rory Gallagher. Precisa dizer mais alguma coisa?


E foi assim, bebendo da fonte dos blueseiros americanos que Rory Gallagher veio ao mundo. Primeiro com seu power trio, a Taste, uma banda boa pra caramba. E depois solo, com vários discos de fazer inveja a muita gente. E olha que pouca gente conhece o cara. Ele tem uma pegada fantástica. Um vocal fabuloso. O cara é simplismete foda!

Esse disco, lançado em 1976, eu descobri por um acaso, numa manhã em uma loja de cds na qual eu trabalhava. Um doutor, médico conceituado chegou na loja e, como de costume, foi ver os cds do Yes. Por um acaso, tinha acabado de chegar o lançamento da época, o OPEN YOUR EYES. Isso aconteceu em 1997. Conversa vai, conversa vem, ele havia me pedido um disco do Rory Gallhagher. Eu hã???... Bem, fiz o pedido de dois, porque a propaganda foi tanta que fiquei curioso. É meu amigo. Valeu a pena esperar.

Rory Gallagher usou uma única guitarra em toda sua vida, uma Fender Stratocaster, que comprou de segunda mão quando tinha 15 anos. E foi com ela que ele fez esse disco excelente, CALLING CARD. A música que dá nome ao disco vale a pena ser ouvida no volume máximo, em um bom home theater, por que é pauleira amigo. Blues de primeira qualidade. Aliás os músicos que o acompanham (Gerry McAvoy - Baixo, Lou Martin - Teclados e Rod de'Ath - Bateria) são músicos de prima. Também não é pra menos né? Acompanhar o cara devia ser foda. E o disco ainda se destaca pela produção de Roger Glover (aquele mesmo do Deep Purple).

Agora, baixe esse arquivo, arrume um bourbon, chame os amigos e enjoy!

domingo, 5 de abril de 2009

Podcast#1

Como prometido, inaugura hoje no Blog a sessão Podcast. Esse por sinal é marcado pelo ecletismo musical, mas tudo conforme manda o figurino. Saudações ao grande amigo, irmão, conhecedor profundo de músicas que são descobertas no submundo do Rock, dono de um conhecimento e simpatia tremenda, Mr. RODRIGO EDUARDO GIARETA.

Não falo por falar. O Pod abre com ZZ Top e a música Brow Sugar. (N. do E.: Não, não é aquela dos Stones.) Rock texano de qualidade. A segunda é uma banda da qual eu faço parte e tenho muito orgulho de postar aqui e que vai tocar muito, pra todos vocês ficarem conhecendo. Temos o nome de Radiophonics. Mais além comentarei sobre ela. Passa ainda por Blues Brothers, Blue Man Group e termina com uma versão de In The Evening, tocada pelo filho do mestre, Jason Bonham.

Espero que vocês apreciem, pois esse é o começo de uma longa jornada musical.

Podcast#1
ZZ Top - Brow Sugar
Radiophonics -Ela me Faz Pirar
Nick Drake - Pink Moon
Vinny - Black Dog (isso mesmo, aquele do MEXE A CADEIRA! Sempre desconfiei que ele era roqueiro, e dos bons. Tirei a prova.)
Blue Man Group - Time To Start
King Khan & The Shrines - Mr. Supernatural
Blues Brothers - Hey Bartender
The Jason Bonhan Band: In The Evening

Experimente:

From Texas to the World!


Olá amigos. A partir de hoje estou entrando no ar com meu blog, o Aumenta Que Isso Aí É Rock N' Roll!, que já foi um programa numa rádio durante 5 bons anos, onde predominava o que de há de melhor no mundo roqueiro. Calcado principalmente nas velharias, mas sem esquecer das novidades, o programa ajudou muita gente a conhecer coisas até então esquecidas ou nunca antes comentadas. Obrigado pelo incentivo de amigos, espero que todos gostem deste blog, que irá se aperfeiçoando com o tempo.


Quero começar essa primeira postagem com um discão de 1971, de uma banda que são poucos que gostam. ZZ TOP. Uma banda texana, que mistura bourbon, blues, harleys, cobras e muita barba! Esse primeiro disco lançado pela Warner Bros. destaca-se pela qualidade sonora, guitarra baixo e bateria envolvendo o ouvinte a cada minuto.


Ainda bem que o ZZ Top existe meu amigo. Experimente ouvir nos fones de ouvido no volume máximo

Experimente: