segunda-feira, 9 de novembro de 2015

"She Sing, I Kill", a nova do Scorpion Child


Os americanos da Scorpion Child estão de volta depois do aclamadíssimo album de estréia lançado em 2013. O novo disco será lançado em 2016, sem título ainda definido, mas já consta com o primeiro single, que pode ser ouvido abaixo.

Esta música poderia estar em qualquer um dos discos do Black Sabbath na era Dio. Curte aí.


Novo lyric video do Ghost


Trata-se de "He Is", música que faz parte do álbum MELIORA. Assista abaixo.


sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Black Sabbath lança "Paranoid" em vinil roxo


Boa notícia para a galera fã do Black Sabbath. O álbum mais clássico da banda, Paranoid de 1970, será relançado em uma nova edição com disco de vinil de 140g roxo, arte original de 12 polegadas e um apoio para bebidas.

Para conseguir um exemplar desses é necessário ser membro do clube e você pode fazer isso clicando neste link aqui. Acima e abaixo imagens da nova edição logo abaixo.



quinta-feira, 2 de julho de 2015

Randy California no Deep Purple?


Antes de começar o texto, é importante para o leitor aqui do Aumenta que saiba quem foi Randy California. Ele foi guitarrista e um dos fundadores da banda Spirit, banda de rock psicodélico e hard rock formada em 1967 em Los Angeles, na California. O maior sucesso da banda foi "I Got A Line On You". Os discos "The Family That Plays Together", "Clear" e "Twelve Dreams Of Dr. Sardonious" obtiveram grande reconhecimento também.

Ok, agora que você já conhece um pouco da história do cara, vamos contar uma historinha que você, se for um grande fã do Deep Purple, pode não conhecer. Em 1972, às vésperas de uma turnê de uma importante turnê como headliner em 1972 pela América do Norte, Ritchie Blackmore (guitarrista - Deep Purple) foi para no hospital, pois estava com hepatite.

Na ocasião e no primeiro show, a banda chegou a apresentar-se como um quarteto (Gillan, Glover, Paice e Lord), mas não poderia continuar, já que o astro principal era Blackmore. E, como não havia se recuperado, o então agente norte-americano da banda ligou para Al Kooper (Blood, Sweet & Tears, Bob Dylan, Jimi Hendrix) para assumir a função. No entanto, o cara manjava é dos teclados. Qual seria a saída? Bingo! Trazer Randy California.

Randy saiu-se muito bem na audição e realizou um show como guitarrista do Deep Purple em Quebec, no Canadá, no dia 6 de abril de 1972. Apesar de Randy ter se divertido naquele show, os membros do Purple sentiram que, sem Ritchie a banda não seria a mesma, e então resolveram cancelar a turnê. Quanto ao set list daquela noite? Bem, só Deus sabe.

Com informações do Poeira Zine

quarta-feira, 1 de julho de 2015

CD quádruplo compila material do Taste


"I'll Remember" é um box quádruplo previsto para sair em 28 de agosto trazendo versões remasterizadas dos dois álbuns de estúdio do Taste, do mestre Rory Gallagher: "Taste" e "On The Boards", acrescidos de faixas extras, além de shows ao vivo registrados em Stockholm, Paris Theatre e Woburn Abbey Festival e ainda demos e versões alternativas, incluindo livreto com fotos raras e inéditas.

Nosso editor Fábio Brod já ficou "ouriçado" ao ler essa notícia. Se prepara Fabião!!!


David Bowie: box com doze discos compila material de 1969 a 1973


"Five Year 1969-1973" traz, em doze CDs ou treze LPs, todo o material produzido por David Bowie no início dos anos 70, incluindo os discos: "David Bowie (aka Space Oddity)", "The Man Who Sold The World", "Hunky Dory", "The Rise And Fall Of Ziggy Stardust And The Spiders From Mars", "Alladin Sane" e "PinUps", dois trabalhos ao vivo oficiais - "Live Santa Monica '72" e "Ziggy Stardust: The Motion Picture Soundtrack", além de uma compilação dupla com material de singles e b-sides chamada "Re:Call 1".

O lançamento está previsto para 25 de setembro. 


Box-set com 15 CD's de Alice Cooper deve sair ainda este mês


Fãs de Alice Cooper podem comemorar; no próximo dia 31 de julho a Rhino Recs irá lançar um box-set com 15 CDs de Alice Cooper.

Intitulado "The Studio Albums: 1969-1983" a compilação trará os primeiros discos da carreira do cara (veja na lista abaixo). No entanto, não há informações sobre material extra ou remasterizações.

- Pretties For You (1969)
- Easy Action (1970)
- Love It To Death (1971)
- Killer (1971)
- School's Out (1972)
- Billion Dollar Babies (1972)
- Muscle Of Love (1973)
- Welcome To My Nightmare (1975)
- Alice Cooper Goes To Hell (1976)
- Lace And Whiskey (1977)
- From The Inside (1978)
- Flush The Fusion (1980)
- Special Forces (1981)
- Zipper Catches Skin (1982)


Novos lançamentos do Led Zeppelin


Os três discos que faltavam para completar a discografia remasterizada e com edição de luxo do Led Zeppelin irão sair agora no mês de julho. Veja abaixo os "teasers" de "Presence" e "In Through The Outdoor".



terça-feira, 30 de junho de 2015

Iron Maiden na capa da nova edição da Kerrang!


Steve Harris está na capa da nova edição da revista inglesa Kerrang!. O líder do Iron Maiden revela em uma entrevista exclusiva tudo sobre o novo disco "The Book Of Souls". A revista chega às bancas no dia 1º de julho.

Por falar em Steve Harris, ontem na fanpage oficial do Iron Maiden foi divulgado um vídeo da turnê de verão da outra banda do cara, a British Lion, ao vivo em Glasgow. Confira abaixo.


sexta-feira, 19 de junho de 2015

Ouça "Thunder & Lightning", nova do Motörhead


Apesar das crises constantes que andam assombrando o God Of Metal Lemmy Kilmister, ele e a banda irão lançar no dia 28 de agosto "Bad Magic", o sucessor de "Aftershock" de 2013, o 22º álbum de estúdio dos caras.

Segunto Mikkey, Phil e Lemmy, o álbum vai soar como deve ser: rápido e pesado, como só o velho Motörhead consegue fazer.

A capa acima é a que vai chegar às lojas, e abaixo você confere o tracklist e também ouve "Thunder & Lightning" o primeiro single.

Tracklist:

01. Victory Or Die
02. Thunder & Lightning
03. Fire Storm Hotel
04. Shout Out All Of You Lights
05. The Devil
06. Electricity
07. Evil Eye
08. Teach Them How To Bleed
09. Till The End
10. Tell Me Who To Kill
11. Choking On Your Screams
12. When The Sky Comes Looking For You
13.Sympath For The Devil (Cover)


Confira capa, tracklist e a primeira música de "Repentless", novo do Slayer


Essa acima é a capa do novo disco do Slayer, "Repentless", que leva a assinatura do brasileiro Marcelo Vasco. O disco, que será lançado no dia 11 de setembro pela Nuclear Blast é, segundo Kerry King, "é meu tributo a Jeff. Eu a chamo de HannemAnthem. É meu ponto de vista sobre o ponto de vista de Jeff, é o que eu acho... Se Jeff escrevesse uma canção sobre si mesmo, seria Repentless".

Abaixo você confere o tracklist de "Repentless" e também assiste a faixa título, liberada hoje pela banda.

Tracklist

01. Delusions Of Saviour
02. Repentless
03. Take Control
04. Vices
05. Cast The First Stone
06. When The Stillness Comes
07. Chasing Death
08. Implode
09. Piano Wire
10. Atrocity Vendor
11. You Against You
12. Pride In Prejudice


quinta-feira, 18 de junho de 2015

The Book Of Souls: Iron Maiden confirma novo álbum


O aguardado novo álbum de estúdio do Iron Maiden, The Book Of Souls, será lançado mundialmente no dia 4 de setembro pela Parlophone Records (Sanctuary Copyrights/BMG nos EUA). Foi gravado em Paris com o produtor de longa data Kevin "Caveman" Shirley no final de 2014, com alguns toques finais acrescentados no começo deste ano. A banda decidiu atrasar o lançamento de forma que o vocalista Bruce Dickinson, que recentemente curou-se de um câncer, tivesse tempo para se recuperar o suficiente para se juntar às preparações para o lançamento do álbum.

A sensacional arte da capa foi criada por Mark Wilkinson, que já trabalhou anteriormente com a banda, e como o álbum de 11 faixas tem um tempo total de 92 minutos, é o primeiro álbum de estúdio duplo da história do Iron Maiden. Houve mais participação de todos no processo de composição quando comparado aos álbuns anteriores do Maiden, com o baixista e membro fundador Steve Harris contribuindo com sete das faixas; seis delas com os guitarristas e uma composição solo. Essa também é a primeira vez desde Powerslave que um álbum de estúdio do Iron Maiden traz duas faixas escritas por Bruce Dickinson, uma delas a mais longa que o Iron Maiden já gravou. Há ainda duas colaborações de Dickinson e Smith.

Comentários de Steve:
"Fizemos este álbum de uma forma diferente de como gravamos anteriormente. Muitas das faixas foram compostas enquanto estávamos no estúdio e as ensaiamos e gravamos enquanto ainda estavam frescas, e acho que esse imediatismo realmente aparece nas canções. Elas tem um sentimento de faixas ao vivo nelas, eu acho. Eu estou muito orgulhoso de The Book Of Souls, todos estamos. E estamos ansiosos para que os fãs ouçam, e para levar isso para a estrada no ano que vem".

Comentários de Bruce:
"Estamos realmente animados com The Book Of Souls e nos divertimos muito criando o álbum. Começamos a trabalhar nele no final do verão de 2014 e gravamos no Guillame Tell Studios em Paris, onde fizemos o Brave New World em 2000, então o estúdio trazia memórias especiais para todos nós. Ficamos encantados em descobrir que a mesma vibração mágica ainda estava viva e chutando tudo por lá. Imediatamente nos sentimos em casa e as ideias começaram a fluir. Quando terminamos concordamos que cada faixa era parte integral de um conjunto que precisava ser um álbum duplo. Então vai ser um álbum duplo!"

O tracklist completo de The Book Of Souls é:

Disc 1
01. IF Eternity Should Fail (Dickinson) 8:28
02. Spees Of Light (Smith/Dickinson) 5:01
03. The Great Unknow (Smith/Harris) 6:37
04. The Red And The Black (Harris) 13:33
05. When The River Runs Deep (Smith/Harris) 5:52
06. The Book Of Souls (Gers/Harris) 10:27

Disc 2
07. Death Or Glory (Smith/Dickinson) 5:13
08. Shadows Of The Valley (Gers/Harris) 7:32
09. Tears Of A Clown (Smith/Harris) 4:59
10. The Man Of Sorrows (Murray/Harris) 6:28
11. Empire Of The Clouds (Dickinson) 18:01

Formatos
2CD deluxe hardbound book limited edition
2CD standard edition
Triple heavyweight black vinyl
High res audio (24-bit Mastered for iTunes and non-Mastered for iTunes)
Standard res audio (16 bit/44.1 kHz)

The Book Of Souls é o 16º álbum de estúdio desde o debut de 1980 que chegou ao #4 no Reino Unido, em uma carreira de vendas de mais de 90 milhões de álbuns em todo o mundo. Seu álbum anterior, The Final Frontier de 2010,  foi o maior sucesso do Maiden nas paradas até o momento, chegando a número 1 em 28 países, e sua melhor posição nos EUA, chegando a #4 na Billlboard 200.

Devido à doença de Bruce a banda teve de adiar os planos de turnê, mas promete voltar para a estrada novamente no próximo ano, dando tempo a Bruce para que ele se recupere completamente, para que esteja pronto para os rigores exigidos pelas performances ao vivo do Iron Maiden.


sexta-feira, 29 de maio de 2015

John Wetton diagnosticago com câncer


John Wetton, baixista e cantor que já teve passagens pelas bandas Uriah Heep, UK, King Crimson, Roxy Music, Wishbone Ash e atualmente segue sua carreira no supergrupo ASIA confirmou que está recuperando-se de uma cirurgia de remoção de um tumor maligno.

Um comunicado oficial diz o seguinte: "No dia 16 de maio John passou por uma cirurgia para a remoção bem sucedida de um tumor maligno de 1kg. John estende seus agradecimentos à equipe médica do Dr. Chan, e também está grato pelos maravilhosos desejos e orações recebidas pelos fãs".

Wetton está recuperando-se de seu procedimento. Se você deseja mandar uma mensagem de carinho para o músico, o e-mail é este aqui: jw@qedg.co.uk.

Fonte: Prog Rock Team


terça-feira, 26 de maio de 2015

Led Zeppelin fará turnê no próximo ano


Essa é a notícia que está correndo o mundo hoje. Segundo o jornalista José Norberto Flesch, do Jornal Destak, a maior sumidade nesse país em notícias do mundo da música, o Led Zeppelin vai voltar à ativa em 2016. Ãhn? Como assim vai voltar?

É isso mesmo. Depois de jurarem de pés juntos que isso JAMAIS aconteceria, o que era incerto virou uma certeza absoluta: O ZEPPELIN VAI VOLTAR EM 2016. E não é uma ocasião especial ou para receber um prêmio não, é uma turnê, que já tem datas coordenadas pela Live Nation, uma gigante do showbusiness.

A princípio os shows serão apenas na América do Norte (EUA e Canadá) no verão americano de 2016. Até lá, a banda lança seu primeiro disco de estúdio desde 1982 (Ah Jimmy Page, seu danadinho. Conseguiu manter segredo esse tempo todo né?).

Há outro gigante na história. Toda a turnê será patrocinada pela divisão de celulares de uma poderosa empresa britânica. A bomba deve sacudir o mercado dos shows em 2016. Os remanescentes da formação original (Plant, Page e Paul) acenavam com a possibilidade de um novo disco, mas rejeitavam uma volta aos palcos, e negavam piamente qualquer retorno. Até agora.

A turnê terá shows em lugares grande e pequenos. A ideia é que as apresentações em lugares menores tenham o processo de venda de ingressos semelhante ao que foi visto na Copa de 2014. Quem quiser ver o Led de pertinho se inscreve e aguarda um sorteio. Se for escolhido, ganha o direito de comprar para uma determinada cidade.

É gente. O meu coração já palpita mais forte pensando se eles pisarão em terra brasilis. Se isso acontecer, posso morrer feliz! 

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Social Distortion deve lançar novo disco em 2016


Engraçado escrever sobre isso pra você que acompanha o blog. Você deve estar se perguntando o porque; é que sábado passado no Canal Bis passou um especial do Social Distortion no programa SOUNDCHECK. Além de tocar clássicos de sua carreira (que não começou hoje, a banda existe desde 1978), falaram sobre como é se tornar independente de novo, sem ter uma grande gravadora comandando e gerenciando sua marca e carreira, problemas pessoais, drogas e muita música.

Agora, os californianos deram uma entrevista para um site alemão, o Krone, onde Mike Ness, lider da banda fala sobre o disco que deve ser lançado em 2016, sua biografia e como se sente disposto a continuar tocando, mesmo com 53 anos de idade. Se você manja de alemão, clique aqui e veja a matéria completa.

Fonte: Dying Scene


sexta-feira, 22 de maio de 2015

Anote aí: 11 de setembro, dia que chega às lojas o novo álbum do Slayer


"Repentless" é o nome do novo disco que já tem data certa pra lançamento: 11 de setembro. O disco tem a produção de Terry Date, que já trabalhou com nomes como Pantera, Smashing Pumpkins e Soundgarden.

Para a banda, "Repentless" marca o começo de uma nova era. Jeff Hanneman, que era um dos principais compositores do grupo, morreu em 2 de maio de 2013. Após a morte do colega, Kerry King assumiu a tarefa de compor o material novo para o 11º álbum de estúdio da banda. Em abril foi divulgada uma das faixas que farão parte do material: "When The Stillness Comes".

"Repentless" também é o primeiro disco do Slayer desde que o baterisa Paul Bostaph retornou à banda substituindo Dave Lombardo. O último álbum da banda foi "World Painted Blood", de 2009.

Ouça abaixo "When The Stillness Comes".


Veja vídeo oficial de show do Rolling Stones para 1.500 pessoas


Ontem à noite (21/05), 1500 pessoas tiveram a rara oportunidade de ver a maior banda do mundo em atividade, os Rolling Stones, tocando em uma casa de shows de pequeno porte.

A apresentação aconteceu no Fonda Theater e logo que os ingressos foram colocados à venda, mesmo sem anúncio prévio, acabaram em menos de 5 minutos.

Um vídeo mostrando fãs (anônimos e famosos, como Jack Nicholson e Bruce Willis) que conseguiram acesso ao local, bem como a performance da banda pode ser vista logo abaixo.

Essa foi a primeira vez que a banda tocou o disco Sticky Finger na íntegra. O mesmo irá acontecer em mais shows do grupo britânico na turnê norte americana que começa semana que vem.



terça-feira, 19 de maio de 2015

Chris Squire, baixista do Yes, é diagnosticado com Leucemia


Chris Squire, baixista e membro fundador da banda YES foi diagnosticado com Leucemia Aguda, um tipo raro de câncer e, diferentemente da leucemia tradicional, é muito mais grave. Chris está recebendo tratamento em sua cidade natal de Phoenix nos próximos meses.

No entanto, em sua fanpage oficial do facebook, a sua assessoria diz que seu compromisso com a turnê norte-americana será respeitado durante o verão, bem como sua participação no Cruise To The Edge em novembro. Ele será substituido por Billy Sherwood.

"Essa vai ser a primeira vez desde 1968 que a banda vai se apresentar sem mim. Mas os outros caras estão me apoiando e Billy fará um excelente trabalho de me substituir e mostrar aos fãs a mesma experiência que eles esperam ao longo dos anos".

Estamos na torcida. 

segunda-feira, 18 de maio de 2015

The Rolling Stones - We Love You


Houve uma vez em que Beatles e Rolling Stones dividiram o mesmo estúdio e gravaram uma canção. Isso foi em 1967. Na verdade, apenas John Lennon e Paul McCartney participaram. Gravaram suas vozes como backing vocals para Mick Jagger e Keith Richards, no single "We Love You".

Não foi a primeira vez em que os dois grupos trabalharam juntos, mas foi a única em que as duas duplas de compositores se reuniram no mesmo estúdio. Os Beatles e os Stones sempre foram amigos desde o início, quando chegaram a Londres. Os Beatles surgiram primeiro, lançando seu primeiro compacto em outubro de 1962, enquanto os Rolling Stones fizeram sua estreia em junho de 1963, época em que os Beatles já consolidavam sua liderança em toda a Europa. 

Os Beatles eram frequentadores do Crawdaddy Club, em Richmond, onde os Rolling Stones ganharam fama. Andrew Loog Oldham era o empresário dos Stones. Um rapaz de 19 anos que havia sido assistente de Brian Epstein, empresário dos Beatles. Depois, quando Jagger, Richards e Cia. precisavam de uma canção para emplacar um sucesso nas paradas, Oldham solicitou uma ajuda a Lennon & McCartney, que doaram "I Wanna Be Your Man" para os Stones, que chegaram ao Top 10 pela primeira vez com ela. Jagger e Richards começaram a compor depois desse evento, pressionados por Oldham, que dizia que eles podiam. E podiam mesmo!


A "rivalidade" surgiu como uma estratégia de mercado. Um golpe publicitário de Oldham. Ele pensou que se divulgasse os Rolling Stones como o oposto dos Beatles, chamaria a atenção do enorme público do quarteto de Liverpool (pois vinculavam sua imagem a eles) e ganhariam a simpatia de eventuais detratores daquela outra banda. Deu muito certo. Em sua famosa entrevista à Rolling Stone em 1970, em que abre o verbo contra tudo e todos, Lennon relata que o melhor período da fama foi justamente no início, entre 1963 e 1964, quanto Beatles, Stones e The Animals promoviam festa loucas Londres à fora e frequentavam boates e clubes. 

Em sua recente biografia, Vida, Keith Richards lembra como as duas bandas combinavam as datas de lançamento dos discos para não coincidirem. Em termos de gravação houve algumas trocas. Em 1966, o guitarrista dos Stones, Brian Jones, e a cantora Marianne Faithfull (empresariada pela banda) participaram do coro da canção Yellow Submarine.


"We Love You", é uma canção da fase psicodélica dos Stones, que serve como um agradecimento aos fãs da banda pelo apoio conferido quando foram presos por porte de drogas no início de 1967. O clipe da canção mostra o grupo em um julgamento, parodiando o caso do escritor Oscar Wilde. Na canção em si, o grande condutor são justamente os vocais de Jagger e os backing vocals de Richards, Lennon e McCartney. Mas há alguns destaques instrumentais, como o piano do músico de apoio Nicky Hopkins, que faz a abertura da canção, a bateria de Charlie Watts e um sintetizador tocado pro Brian Jones no final. 

Não é um dos grandes clássicos dos Rolling Stones, portanto, está ausente da maioria das coletâneas e nunca esteve no repertório dos shows, mas é um momento curioso do rápido flerte da banda de Jagger &Richards com o psicodelismo e, obviamente, um momento histórico de quando Mick Jagger, Keith Richards, John Lennon e Paul McCartney cantaram juntos numa mesma canção.


Ouça "Still Echoes", novo single do Lamb Of God


Uma das bandas mais aguardadas no festival Rock In Rio, a Lamb Of God, disponibilizou ontem uma das músicas que fará parte se seu novo álbum chamado "VII: Storm And Drang". É "Still Echoes", que você ouve logo abaixo.

Porradaria!!


sexta-feira, 15 de maio de 2015

Oasis: até Paul McCartney quer a volta da banda


Muita gente pede a volta do Oasis. Inclusive você já leu aqui no blog que há um murmurinho intenso em torno disso.

Agora, o coro dos fãs ganhou um reforço de peso: Sir Paul McCartney. "Voltem e façam boa música!", declarou o ex-Beatle. Durante uma entrevista no Japão, publicada no site de Paul, um fã perguntou se o ex-Beatle acreditava que um dia os irmãos Gallagher pudessem voltar, e se ele teria um conselho para os dois. A resposta do músico foi a seguinte: "Não sei se um dia eles vão fazer as pazes. Seria bom porque eu acho que todos gostam que irmãos se gostem - e façam as pazes.

É uma pena, porque eles eram muito bom juntos. Como muitos irmãos eles são loucos. Mas seria legal se eles voltassem. Mas eles precisam querer. Acredito que muita gente adoraria isso. Eles são caras muito legais!"

Com uma declaração dessas, se fosse você, o que faria? Porra, é Paul McCartney caralho! Voltem duma vez!!!!

quinta-feira, 7 de maio de 2015

Slash: "Nunca diga nunca", sobre uma possível reunião da formação clássica dos Guns N' Roses.


O Slash parece estar finalmente se acostumando com a ideia de uma reunião com Axl Rose, depois que ele disse "nunca diga nunca" em uma entrevista de televisão ao vivo.

O guitarrista há muito se distanciou de qualquer conversa de voltar ao Guns N 'Roses - juntou-se a banda em 1985 e deixou em 1996, depois de ajudar a se tornar um dos maiores grupos do mundo. Recentemente disse que estava cansado de ser perguntado sobre a possibilidade de uma reunião da formação clássica, mas hoje disse à CBS News que grande parte da animosidade entre ele e o cantor se dissipou.

Ele diz: "Eu tenho que ser cuidadoso com o que eu digo, quer dizer, se toda a gente quer fazê-lo e pelas razões certas, eu acho que os fãs adorariam, e acho que poderia ser divertido em algum momento para tentar. E fazer isso. Nunca diga nunca".

Ele acrescenta: "Não há nenhuma animosidade Ao longo do tempo todos nós só ficamos cansados de toda aquela tensão; A maior coisa que acontece quando você tem uma separação, que é inferior a algo harmonioso, é que você constrói uma energia ruim por causa da distância... Os sentimentos ruins são muito exagerados".

Axl Rose é o únido membro remanescente da formação da era clássica. O baixista Duff McKagan voltou para uma série de datas no ano passado e mais tarde disse que não descarta um retorno à banda em uma base de tempo integral. 

Podemos imaginar que, depois de tanto rancor, finalmente as coisas estão se apaziguando entre os caras e, quem sabe (quem sabe?) possamos sonhar em ver uma reunião em algum futuro. Oremos!

Fonte: Classic Rock

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Ouça versão alternativa de "Bitch", do Rolling Stones


O clássico álbum de 1971 dos Rolling Stones, "Sticky Fingers", vai ganhar um relançamento especial e chega às lojas no dia 09 de junho, em versões comum, deluxe e super deluxe. Esses dois últimos virão recheados de versões alternativas das faixas que integram o trabalho.

Uma das versões que estarão no relançamento é "Bitch". A versão alternativa foi gravada antes da versão que a gente já conhece, é mais comprida, um pouco mais lenta e com algumas nuances diferentes da original. As duas estão no final da publicação.

Além de "Bitch", "Wild Horses" e "Can't You Hear Me Knocking" já foram apresentadas anteriormente.

A capa foi concebida por Andy Warhol, e tinha um ziper na capa original.



terça-feira, 28 de abril de 2015

Repost: Black Sabbath - The Eternal Idol (1987)


Post originalmente publicado em 6 de março de 2010, com algumas informações adicionais e revisado..

Sabe aquele disco, daquela banda que você curte pra caramba mas que, por algum motivo do destino nunca é lembrado pela crítica ou até mesmo por você? Pois bem, hoje vamos falar sobre "The Eternal Idol", um baita disco que foi gravado pelo Black Sabbath.

A história do Black Sabbath eu não preciso contar aqui pois todo mundo (ou quase) conhece. Depois de clássicos, o Sabbath meio que se perdeu em seu caminho. Logo após a saída de Ronnie James Dio, Tony Iommi ficou meio "deslocado" e começou um vai-e-vem de músicos na banda, principalmente de vocalistas Isso (na verdade) acontecia em muitas bandas (Dio, Deep Purple, Whitesnake, Rainbow). Mas no Sabbath era meio inusitado. Em 1983 eles lançam "Born Again" que contava com Ian Gillan (Deep Purple). Em 1986 um grande disco com Glenn Hughes nos vocais ("Seventh Star"). Isso sem contar uma breve aparição de Rob Halford nessa época aí também, mais precisamente no lançamento de "Born Again". UFA!!!! É muita gente não?

Então, em 1987 Tony convida um cara que começava a despontar como uma promessa e, logicamente, seria uma oportunidade para dar uma guinada na banda. Era Ray Gillen. Em 1985 Ray Gillen virou vocalista da banda Rondinelli, do grande baterista Bobby Rondinelli (que na época foi baterista do Rainbow, e que gravou, ao lado de Roger Glover, Ritchie Blackmore e Joe Lynn Turner os discos "Difficult To Cure" e "Straight Between The Eyes"). Logo em seguida, Gillen recusa um convite para o musical CATS e aceita o "emprego" para gravar "The Eternal Idol". A história por trás do disco é inusitada.


Por muitos problemas financeiros (pelo menos são fontes) Ray Gillen, assim como Eric Singer que tocou bateria no disco (mais tarde iria pro Badlands e futuramente KISS) e Dave Spitz que tocou baixo (White Lion, Great White, Lita Ford, Impelliteri, Nuclear Assault) resolvem deixar a banda. Com o disco praticamente pronto, Iommy chama Tony Martin, o eterno vocalista do segundo escalão. Continuando a história de Gillen, logo em seguida, junto com John Sykes (Tygers Of A Pan Tang, Whitesnake, Sykes) monta a Blue Murder. Participou também do projeto PHENOMENA de Glenn Hughes até que, em 1987, junto com Jake E. Lee (ex-Ozzy Osbourne), Eric Singer e Greg Chaisson no baixo montam a Badlands. Fatalmente ele viria a morrer de Aids. Uma pena, tinha um grande caminho ainda a trilhar.

Voltando à Eternal Idol, os fãs mais ardorosos do Sabbath não gostam de citar a fase com Tony Martin à frente do Black Sabbath. Além deste, ele gravou "Headless Cross", "Tyr", gravou o disco "Dehumanizer" que posteriormente foi lançado com Ronnie James Dio em seu retorno ao Sabbath e 1992, "Cross Purposes", "Cross Purposes Live" e "Forbbiden". Todos os discos tem a característica marcante do Sabbath, que é o peso e o som soturno. E Tony Martin é um grande vocalista, segura bem as pontas em músicas do Sabbath tanto com Ozzy quanto com Dio. Mas é injutiçado, infelizmente. The Eternal Idol é sim um disco importante pra discografia do Black Sabbath e indispensável para quem curte não só a banda, mas música de modo geral. Sonzeira.


segunda-feira, 27 de abril de 2015

Dire Straits: Como fizemos BROTHERS IN ARMS


Em seu 30º aniversário, olhamos para trás no álbum que transformou o Dire Straits na maior banda de rock britânica dos anos 80.

Em Novembro de 1984, Mark Knopfler reuniu o Dire Straits no Air Studios, na ilha caribenha de Montserrat para fazer seu quinto álbum de estúdio. Posteriormente lançado em 13 de maio de 1985, "Brothers in Arms" provou ser um fenômeno; Ele liderou as paradas em todo o mundo e passou a ganhar dois Grammy e um Brit Award. Até o momento, ele passou mais de 30 milhões de cópias, nada mau para um álbum lançado por um vídeo de um cara gordo em desenhos animados gemendo que estreou na MTV. Este é um trecho de como o oitavo álbum mais vendido na história da gravação britânico foi feito ...

Ed Bicknell [Manager]: "Em todo o tempo que eu trabalhei com ele, eu nunca pedi a Mark qual seria o próximo registro da banda. Ele me dizia quando queria. Na corrida para Brothers in Arms, ele estava fazendo a trilha sonora do filme Cal. Nós estávamos nos dirigindo para o estúdio um dia e ficamos presos no trânsito. Ele se virou para mim e me pediu para chamar os caras até porque ele tem algumas músicas juntos. Lembro-me de descer para os ensaios e ouvir "Money For Nothing pela primeira vez. Quando eu era um agente que eu tinha feito uma turnê com ZZ Top e eu era um grande fã desse tipo de tom de guitarra distorcido que Billy Gibbons usa. Eu posso estar errado, mas eu tenho um sentimento Mark poderia ter sido a ouvir um pouco de ZZ Top. Eu pensei que a música em si pode ser um pouco de um hit, mas ninguém poderia ter previsto o que aconteceria com esse álbum".

John Illsley [baixo]: "Nós passamos muito tempo nos ensaios brincando com idéias diferentes e, por isso, tivemos bastante tempo de ensaio até chegarmos no Estúdio Monserrat para iniciarmos a gravação. Em seguida, tivemos um problema com a máquina de fita depois de três semanas de estar lá. Durante a noite, a máquina de rolo de fita digital decidiu "limpar" algo como 70 por cento de todo o material que tínhamos gravado. Este foram os primeiros dias do digital e nós tivemos que começar a gravar tudo de novo".


Alan Clark [teclados]: "Naquele tempo, Monserrat era como Shangri-La. Era o lugar mais bonito e calmo que você poderia desejar para visitar. Acabamos ficando com Omar Hakim na bateria para esse álbum e nós cortamos as faixas de apoio em cerca de uma semana. Mark queria ouvir a faixa de bateria em primeiro lugar e então nós construímos todo o o resto da música a partir daí. Ride Across The River e Why Worry foram feito assim. Tivemos a sensação de que Money for Nothing ia ser um riff de guitarra clássica desde a primeira vez Mark a tocou".

Ed Bicknell: "Eu também me lembro de ouvir Your Latest Trick em Monserrat, que foi a única vez que dei um palpite em algo. Ela foi originalmente interpretada pra ser um número jazz bee-bop e não estava evoluindo, não houve groove. Sugeri então a Mark experimentá-la como uma bossa-nova e fazer uma das batidas para fora, que é o que eles fizeram. Walk of Life não ia estar no álbum. Eu entrei no estúdio em Nova York, quando Mark e [produtor] Neil Dorfsman foram remixar a faixa e eu não tinha ouvido falar dela. Mark disse que era um B-side. Eu disse a ele que era uma música de sucesso em um B-side e deve estar no álbum. Na verdade, foi uma venda única em todo o mundo maior do que Money for Nothing. Mark era um grande fã dos animais, quando ele era criança e costumava ir vê-los em Newcastle City Hall. Alan Price costumava jogar um órgão 'Farfisa' e Mark estava olhando para recriar o som do que na extremidade dianteira de Walk of Life".


John Illsley: "A turnê de Brothers In Arms foi um grande problema. Era uma percepção de que a banda chegou a um ponto que foi bastante singular e no principal nós gostamos. Nós fizemos as músicas Brothers in Arms como um encore e um arrepio percorria minha espinha a cada noite quando nós a tocávamos. Eu estava falando sobre aqueles momentos com Mark apenas outro dia. Você não pode voltar atrás e repetir que tudo de novo: é melhor deixar essas boas memórias intactas".


Matéria original publicada na Classic Rock.

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Faith No More anuncia relançamentos de "The Real Thing" e "Angel Dust" com material extra


Parem as máquinas: o Faith No More, que acaba de lançar seu disco de inédita em 18 anos, Sol Invictus, também vai presentear os fãs com relançamentos especiais de dois discaços da banda.

The Real Thing (1989) e Angel Dust (1992) que, na opinião deste modesto redator são os melhores da discografia da banda, serão relançados em LPs e CDs duplos, sendo que os discos bônus terão lado B, raridades e gravações ao vivo. Legal né? 

Quer saber mais sobre estes detalhes? Então clique neste link aqui e divirta-se.


Noel e Liam Gallagher teriam feito "acordo de cavalheiros" para retorno do Oasis


Que eles foram a maior e melhor banda dos anos 90 e 2000, disso não tenho nenhuma dúvida. A trajetória da banda foi marcada por "tapas e beijos", principalmente geradas pelos irmãos Gallagher. E agora, vem o Daily Mirror e nos diz que, "uma fonte confiável" afirma que os dois fizeram um "acordo de cavalheiros" para uma possível reforma do Oasis em 2016.

"É cedo em termos de detalhes, mas Noel e Liam estão de volta em boas condições e prontos para se dar outra chance. Nada está assinado, mas é o que se pode chamar de um 'acordo de cavalheiros' entre eles", afirma a fonte. E continua: "em última análise eles são da família e tudo o que aconteceu antes pode ser resolvido. Eles estão muito próximos de deixar a arrogância de lado".

Não quero jogar nenhum balde de água fria nisso, mas eu sou como São Tomé: só acredito vendo. Isso até parece a velha história da reunião do Guns N' Roses original. Poisé. Porém, onde há fumaça há fogo, se isso for verdade e, junto com o lançamento inédito do Blur em 12 anos, seria o gás necessário para o BritPop voltar com tudo.

Vamos esperar mais notícias.

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Álbuns solo de John Lennon serão remasterizados e relançados em vinil


Os oito álbuns solo de John Lennon serão remasterizados e lançados em caixa de discos de vinil. Intitulada Lennon, a coleção contará com John Lennon/Plastic Ono Band, Imagine, Some Time In New York City, Mind Games, Walls And Bridges, Rock 'N' Roll, Double Fantasy e Milk And Honey.

Alem do material remasterizado, os discos terão um código para download das faixas em formato digital, cartões postais, pôster e livretos sobre os álbuns. Alguns dos discos estiveram por muito tempo fora de comercialização, proporcionando aos fãs acesso a um material pouco conhecidos.

A caixa será lançada em 9 de junho e os discos serão comercializados separadamente a partir do dia 21 de agosto. Assista abaixo o trailer oficial do relançamento.


quinta-feira, 2 de abril de 2015

Da série "qualquer semelhança é mera coincidência"


Antes de começar esse post é preciso avisar: Ele contém "spoilers". Essa coluna já é escrita tem algum tempo, onde comparamos as semelhanças entre músicas de artistas. Plágio? Cópia escrachada? Ou simplesmente coincidência?

Vamos começar com uma música lançada em 1994 pelo banda de rock industrial Nine Inch Nails. No ápice de sua carreira, Trent Reznor, o mentor, idealizador e vocalista da NIN lançou uma sonzeira chamada "Hurt", a qual você ouve abaixo.


Ok, mas você deve estar se perguntando onde quero chegar, certo? Em 2002, o ícone do Southern Rock e Country Music, Johnny Cash, depois de passar por um período de "vacas magras" resolve lançar mais um disco da série "American", e este teria o título "American IV". A maior parte das faixas são covers executados por Cash em seu próprio estilo, com a ajuda do produtor Rick Rubin.

Cash contou com backing vocals de vários artistas, como Fiona Apple, Nick Cave e Don Henley. Este foi o último disco lançado por Johnny Cash em vida, sendo o primeiro a vender mais de 500 mil cópias em 30 anos. Ali há uma releitura de "Hurt" do NIN, que você ouve logo abaixo.


Legal, mas e aí? Bom aí você ouve a versão de Johnny Cash e qual música vem a sua cabeça? Deixo você pensar um minuto. Pensou? Em 2001, Cássia Eller, uma das artistas mais promissoras do rock e da música brasileira chega ao estrelato lançando com louvor "Acústico MTV". Lá estava uma canção escrita por Nando Reis que se chama "Luz Dos Olhos". Aahhh, agora a coisa começa a clarear né?

Ele relançou a música no seu disco "A Letra A" de 2003, que você ouve abaixo. O resto? Bom, qualquer semelhança....


segunda-feira, 23 de março de 2015

Ouça "Lonesome Street", mais uma inédita do Blur


O Blur disponibilizou a audição de mais uma música de seu primeiro disco em 12 anos, "The Magic Whip", que será lançado no final de Abril.

Abaixo, além de "Lonesome Street", você também ouve "There Are Too Many Of Us" e "Go Out", lançadas anteriormente.




Robert Plant e Jack White juntos no palco do Lollapalooza


O Lollapalooza que aconteceu esse final de semana na Argentina trouxe uma grata surpresa para quem estava assistindo ao show de Jack White.

Antes do bis do set list de Jack White e, ao começar o primeiro acorde de "The Lemon Song" o que se viu foi um êxtase geral, já que Robert Plant, o cara que cantou na Led Zeppelin subiu ao palco para fazer jus ao seu nome.

Juntos estavam passado e presente, num momento épico para deleite dos fãs. Será que podemos esperar o mesmo aqui no Lolla Brasil? Esse final de semana saberemos. E nossa correspondente que se cuide, para não ter um ataque do coração. Gabi Viacelli, respira fundo e vai querida, hahahah.

Assista abaixo o vídeo da apresentação.


quarta-feira, 18 de março de 2015

Kiko Loureiro no Megadeth?


Uma informação não oficial dá conta de que Kiko Loureiro está nos EUA, justamente quando o Megadeth se prepara para gravar seu novo álbum e alimenta os rumores de que ele seja o novo guitarrista da banda (ou pelo menos do próximo álbum da banda). A imagem abaixo é de uma série de vídeos postados pelo guitarrista, e é indicado como tendo sido postado nos EUA, ao contrário dos posts anteriores.


Tony Conley do metaltalk.net foi muito mais além. Ele mapeou vários tweets de Kiko que levam a crer que realmente existe algo acontecendo. Veja as imagens abaixo:


De Los Angeles em 9 de março, Kiko voou para Denver, onde possivelmente pegou uma conexão para Nashville onde mora Dave Mustaine, que fez testes com um guitarrista no dia 10 de março.


No dia 11 de março, Kiko postou uma mensagem dizendo que "mudanças estavam acontecendo e novas aventuras estavam por vir".


Onde há fumaça há fogo. Se isso realmente acontecer, pra nós brasileiros seria uma honra. Vamos acompanhar e ficar de olho.

sexta-feira, 13 de março de 2015

Ouça "Psycho", a nova do Muse


Nem bem o anúncio oficial do novo disco do Muse, chamado "Drones", que será lançado no dia 08 de junho foi feito, os caras já divulgaram o primeiro single, que veio acompanhado de um clipe muito bacana.

Trata-se de "Psycho" facha que, em determinado momento, lembra o riff de "Roadhouse Blues" do The Doors. Mas que em sua grande maioria é Muse clássico.

Sobre o disco, Matthew Bellamy, vocalista e guitarrista da banda diz que o ele fala sobre psicopatas, lavagem cerebral e política. "Esse disco explora a jornada de um humano, de seu abandono e perda de esperança, para à doutrinação ao sistema de ser um 'drone humano' e para a deserção de seus opressores".

O tracklist já foi divulgado e você pode ver logo abaixo.

01. Dead Inside
02. [Drill Sergeant]
03. Psycho
04. Mercy
05. Reapers
06. The Handler
07. [JFK]
08. Defector
09. Revolt
10. Aftermath
11. The Globalist
12. Drones

Assista abaixo "Psycho". Sonzeira!


quinta-feira, 12 de março de 2015

Rolling Stones podem tocar álbum na íntegra em nova turnê


De acordo com rumores na imprensa americana, a próxima turnê dos Rolling Stones pelos Estados Unidos pode ter uma atração especial. A banda deve executar o álbum "Sticky Fingers", de 1971, na íntegra. O trabalho foi o primeiro de estúdio a contar com o guitarrista Mick Taylor como membro efetivo. Um anúncio oficial deve ocorrer nos próximos dias.

Será que teremos surpresa nos shows que serão realizados no Brasil em novembro?

quarta-feira, 4 de março de 2015

Mastodon confirmado no Rock In Rio


Excelente notícia para os amantes do metal. O Mastodon foi confirmado na edição de 30 anos do festival do Rock In Rio.

Essa vai ser a primeira passagem da banda no Brasil. Sendo considerada uma das melhores bandas da atualidade, a banda virá promovendo o disco Once More 'Round The Sun, lançado ano passado e um dos melhores do ano e da banda.

Sem dúvida, um dos shows mais aguardados.

terça-feira, 3 de março de 2015

Metallica vai lançar fita cassete com participação de Dave Mustaine


A história é velha conhecida dos fãs da banda. Em 1981, 04 garotos tinham um sonho de viver de música e montaram uma banda, chamada Metallica. James Hetfield, Lars Ulrick, Ron McGovney e Dave Mustaine então trabalharam duro e lançaram uma fita demo intitulada No Life 'Till Leather.

Daí pra frente, até os dias de hoje, você já sabe muito bem o que se passou. Agora, aproveitando o Record Store Day deste ano, Hetfield e Ulrich (que são donos de uma gravadora chamada Blackened Records), eles irão lançar a mesma fita para deleite dos fãs.

Lá, o esqueleto de Kill 'Em All está desenhado, com os solos agressivos de Mustaine, a bateria monstruosa de Ulrich e o vocal rasgado que acompanha a guitarra base cheia de riffs de James Hetfield. Infelizmente McGovney não estava à altura, sendo substituído pelo maior ídolo da banda, Cliff Burton.

De acordo com Ulrich, o material foi remasterizado mas a mixagem original foi mantida, e a ideia é mostra "a mesma inocência e, acho, quase ignorância de quarto moleques que haviam acabado de sair da puberdade, fazendo rock, tocando suas próprias músicas."

Ulrich ainda utilizou sua cópia da fita para a capa do relançamento e escreveu notas a respeito do trabalho à mão.

Por fim, ainda revelou que as edições em CD e LP não terão apenas as músicas originais de No Life 'Til Leather, mas também material que está "por aí em caixas de papelão e coleções de fita".

Ansiosos pelo lançamento


Assista "The Night We Called It A Day", novo vídeo de Bob Dylan


Não é surpresa nenhuma que "The Night We Called It a Day", o primeiro vídeo do mais recente álbum de Bob Dylan parece muito com um filme de "old-school" de Hollywood. O LP, Shadows in the Night, é a tomada do cantor e compositor em normas Great American Songbook da época.

O clipe em preto-e-branco, que você pode assistir abaixo, ainda apresenta uma tela de título ao estilo 40 segundo, como os velho filmes da década de 40. O próprio Dylan aparece ao longo do vídeo, a princípio apenas aparentemente andando pela história que se desenrola ao longo de três minutos e meio da canção. Mas ele tem, finalmente, um papel maior.

Lá está ele na rua chupando os dentes no início. Lá ele está assistindo uma stripper, que acena para ele no palco. Lá, ele está jogando para baixo um tiro e mostrando um anel de noivado com o ator Robert Davi, que apareceu no primeiro filme "Die Hard (Duro de Matar)" (assim como o filme de James Bond Licence to Kill (007 - Permissão Para Matar) e Os Goonies na década de 80). Lá, ele está apontando uma arma para Davi. E lá está ele no clímax do vídeo, trazendo o clipe para um fim sangrento.

O tom noir se encaixa a canção, que foi publicado em 1941 e, como todas as outras músicas no Shadows in the Night, cantada por Frank Sinatra em algum momento durante a sua longa carreira. (Aliás, Davi, um cantor de jazz, fez sua estréia no cinema em 1977, do contrato em Cherry Street, que estrelou Sinatra.)

O vídeo foi dirigido por Nash Edgerton, que já filmou vídeos de Dylan para 2009 de "Beyond Here Lies Nothin" e 2012 de "Duquesne Whistle", ambos de que tomar algumas voltas violentas de sua própria.

Veja abaixo esse mini curta metragem. 


segunda-feira, 2 de março de 2015

Ouça "Superhero", a nova do Faith No More


A nova música do Faith No More, intitulada "Superhero" e também o primeiro single de seu novo disco que será lançado em maio deste ano já pode ser ouvida abaixo.

Sol Invictus é o primeiro álbum de inéditas desde Album Of The Year de 1997. Confirmados na edição de 30 anos do festival Rock In Rio, a banda deve apresentar o disco, além de clássicos no show. Tenho a impressão que o disco será mais ou menos na linha de "Angel Dust". Sonzeira!

Ouça abaixo "Superhero"


sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Lamb Of God no Rock In Rio? Segundo o Jornal Destak sim!


O Jornal Destak, sempre atento às novidades no mundo do showbizz apurou e confirmou junto a organização que a banda Lamb Of God acertou sua participação em uma das noites dedicadas ao gênero no festival, que acontece de 18 a 20 e 24 a 27 de setembro.

Eles irão se juntar aos já confirmados Metallica, Faith No More, Slipknot, System Of A Down, Queens Of The Stone Age e Hollywood Vampires

 O último disco da banda, "Resolution", foi lançado em 2012. Boa notícia para os amantes do gênero.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Ex baterista do Pearl Jam é procurado pela polícia


Dave Abbruzzese foi baterista do Pearl Jam entre 1991 e 1994, e chegou a gravar os discos Vs. (1993) e Vitalogy (1994), tendo entrado na banda um dia antes do lançamento de Ten (1991) e saído na data oficial do álbum de 1994.

Em 1997 ele chegou a participar de sessões do Guns N' Roses para o disco Chinese Democracy mas nenhum material dessa época foi disponibilizado, e agora o cara está encrencado.

Abbruzzese foi acusado de posse de substância controlada, e um crime pior, que pode dar até prisão perpétua, que é o de fabricação ou distribuição de substância controlada. O músico de 46 anos é procurado pela polícia e há inclusive uma recompensa de mil dólares para quem der informações a seu respeito.

Parece cena de Breaking Bad.

Fonte: CoS

Filme contará história de Brian Wilson


Love & Mercy é o nome do filme que será lançado no dia 5 de junho e que conta a história de Brian Wilson, líder e principal compositor do The Beach Boys. Dirigido por Bill Pohlad, traz Paul Dano (Os Sopranos) e John Cusack (Alta Fidelidade) no papel de Wilson, além de Elizabeth Banks (Jogos Vorazes) e Paul Giamatti (Rock Of Ages) no elenco.

Veja o trailer abaixo e segure a emoção.