domingo, 22 de dezembro de 2013

Rapidinhas do Aumenta e notícia urgente para os fãs.


Slash já está em estúdio com a The Conspirators compondo o sucessor de Apocalytic Love de 2012. O disco ainda não tem data definida para ser lançado, mas de uma coisa temos certeza: ele terá a mesma sonoridade do disco anterior, que foi super bem recebido pelos fãs.


O Daft Punk irá tocar na cerimônia do Grammy. O Duo francês foi indicado para uma séria de prêmios (cinco indicações ao total), com "Get Lucky", incluindo uma para Disco do Ano.


Noel Gallagher recusou uma proposta milionária de R$ 70 milhões (U$ 33 milhões) para reunir-se com sua antiga banda, a Oasis, para comemorar os 20 anos do lançamento de Definitly Maybe. De acordo com o semanal Sunday Mirror, "Liam gostaria de voltar com a banda, nem que seja só pelo dinheiro, mas Noel não quer. Houve vários intermediário de cada lado trabalhando para chegar a algum tipo de acordo, mas Noel não muda de opinião e uma solução entre os dois irmão parece impossível".

Isso que é atitude. Se 70 milhões não são suficientes para reunir a banda, o que será que é preciso?


O Kiss e o Nirvana foram indicados para o Rock And Roll Hall Of Fame. O Nirvana até que não demorou muito para a indicação, mas o Kiss já não era sem tempo. Desde que essa premiação foi criada (que tem, entre outras, o Abba como um banda de rock [??????]), o Kiss sempre foi rejeitado pela instituição. Mas ao que tudo indica, depois de anos de reclamação, parece que agora o desejo da grande maioria foi atendido. Não que isso vá fazer alguma diferença na carreira do Kiss, mas......

Por fim, ficamos offline por um tempo e ficaremos mais algum, pois estamos de férias e descobri que minha esposa está grávida de um menino. Então, estou dividindo meu tempo para participar da gravidez. Ano que vem poderemos (ou não) voltar com o blog, é uma questão de planejamento.

Por enquanto boas festas para todos e que 2014 seja repleto de Rock N' Roll!

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Ouça Live At Cellar Door, the Neil Young


Neil Young é uma caixa de surpresas. Em meio há uma fase transitória em sua carreira, onde tinha o Crosby, Stills, Nash & Young, o qual já estava cansado de dois anos de turnê e prestes a se lançar em carreira solo, ele resolve agendar duas noites no famoso Carneggie Hall.

E, para que os shows saíssem do jeito que ele havia planejado, nada melhor do que ensaiar para eles certo? E esse ensaio foi feito no Cellar Door,onde ele havia feito duas apresentações acústicas por noite. O resultado disso tudo, 44 anos depois, você confere no player logo abaixo.O disco duplo estará disponível em CD e Vinil de 180 gramas no próximo dia 10, nos Estados Unidos, e em janeiro no Brasil.

Fonte: Rolling Stone





segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Iron Maiden apontado como uma das empresas mais rentáveis do Reino Unido


Que o Iron Maiden é uma das maiores banda do mundo, isso você já está careca de saber. Mas o que você não sabe (ou sabia, até agora) é que eles são uma das "1000 empresas para inspirar a Grã-Bretanha", publicado na última sexta-feira pela Bolsa de Valores de Londres.

A Iron Maiden LLP, empresa que administra os bens do grupo e tem ações na bolsa, é uma das seis dedicadas a música no país que supera todas as outras no setor, segundo o jornal inglês The Guardian. A lista inclui também o aplicativo Shazam e a Kobalt Music Group. O site da Bolsa de Valores de Londres revela que a Iron Maiden LLP tem ativos no valor de £6,8 milhões (R$ 25,7 milhões) e patrimônio líquido de £11,4 milhões (R$ 43 milhões).

E você ainda acha que sertanejo ou pagode é que é rentável né? 

Com informações de O Globo

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Tracklist, capa e lyric vide de novo de Bruce Springsteen divulgados


O sexagenério Bruce Springsteen, que anda esbanjando jovialidade, está prestes a lançar mais um álbum de inéditas, o décimo-oitavo de sua carreira. Isso acontecerá no dia 14 de janeiro pela Columbia. Produzido por Ron Aniello (que também foi responsável por Wrecking Ball), Brendan O'Brien (Pearl Jam, The Killers, AC/DC) e pelo próprio, o disco terá doze músicas, incluindo outtakes, regravações e covers.

Tom Morello (Rage Against The Machine), participa de oito faixas, incluindo o primeiro single do disco, o tema título que dá nome ao trabalho.

Após você conferir o tracklist, dê uma espiadinha no lyric video de High Hopes. Bem legal.

01. High Hopes
02. Harry's Place
03. American Skin (41 Shots)
04. Just Like Fire Would
05. Down In The Hole
06. Heaven's Wall
07. Frankie Fell In Love
08. This Is Your Sword
09. Hunter Of Invisible Game
10. The Ghost Of Tom Joad
11. The Wall
12. Dream Baby Dream


segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Dez coisas que você não sabia sobre a música dos Beatles


Aproveitando a onda dos 45 anos do White Album, resolvemos compartilhar uma matéria que a revista Rolling Stone postou: Dez coisas que você não sabia (ou achava que não sabia) sobre a música dos Beatles.

O primeiro disco que Scott Freiman teve era da Família Dó Ré Mi. Um tio rapidamente deu um jeito no problema, dando para o garoto de 10 anos cópias de Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band e do Álbum Branco, dos Beatles e, desde então, Freiman é fã da banda.

Trabalhando como compositor e engenheiro, ele, hoje com 49 anos, desenvolveu uma série de palestras sobre a música do Fab Four, incluindo "Deconstructing Sgt. Pepper", "Looking Through a Glass Onion" (sobre o álbum branco) e "Tomorrow Never Knows" (sobre Revolver). Foi uma vida inteira de amor pela banda. "Eu contei a um amigo de colégio o que estava fazendo, e ele disse: 'Oh, sempre soube que você estaria fazendo isso'", conta Freiman.

Tendo apresentado suas palestras para funcionários do Facebook e do Google (a Pixar é a próxima), Freiman vai ministrar também um curso sobre os Beatles na Universidade de Yale, no segundo semestre.

O foco de Freiman é apenas na música do quarteto. "Se alguém diz que tem um guardanapo usado por John Lennon, não me interesso", ele diz. "Eu me interesso apenas pelo processo criativo". Veja abaixo dez curiosidade da música dos Beatles, mostradas por Freiman.

01 - Paul tocou a guitarra principal em "Ticket To Ride"

Conhecido como um grande baixista, Paul McCartney tocou a guitarra principal em diversas músicas dos Beatles, incluindo "Ticket To Ride", "Taxman", "Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band" e "Good Morning Good Morning".


02 - O som dos kazoos em "Lovely Rita" foi feito com pentes enrolados em papel higiênico

O papel higiênico da gravadora EMI "era muito fino", diz Freiman. "Eles mandara o Mal Evans ir ao banheiro pegar".


03 - Trecho de "A Day In The Life" foi inspirado em "Hey Joe"

Paul McCartney foi um grande fã da chegada de Jimi Hendrix ao Reino Unido. "Hey Joe" inspirou diretamente a ponte em "A Day In The Life".


04 - A introdução de "I Feel Fine" vem de "Watch Your Step", de Bobby Parker

John Lennon era fã do guitarrista de R&B Bobby Parker, cujo hit "Watch Your Step" foi tocado pelos Beatles em shows entre 1961 e 1962. "I Feel Fine" é inspirada no riff. "O Led Zeppelin usou o riff de forma mais óbvia em 'Moby Dick'", diz Freiman.


05 - "Her Majesty" apareceu originalmente no medley de "Abbey Road"

Quando os 23 segundos de "Her Majesty" foram cortados do medley que compõe o lado B de Abbey Road, o trecho foi parar no fim da fita. Ao ouvir a música lá, os integrantes da banda decidiram deixar o conteúdo ali como uma faixa "escondida" do álbum. "Está faltando o último acorde, porque esse era também o primeiro acorde de 'Polythene Pam'", diz Freiman.


06 - John e George cantaram "Frère Jacques", canção de ninar francesa, em "Paperback Writer", como parte dos backing vocals.


07 - George tocou baixo em "She Said She Said"

É uma gravação com um agrupamento raro dos Beatles, do qual Paul McCartney não participou.


08 - Paul tocou bateria em "Back In The USSR" e "Dear Prudence"


09 - "Good Morning Good Morning" foi inspirada em uma propaganda de cereal, e o galo que canta é o mascote da marca.


10 - O violão flamenco do começo de "Bungalow Bill" era na verdade um Mellotron

Os fãs de Beatles especulavam qual membro da banda teria tocado a introdução de "The Continuing Story Of Bungalow Bill", mas Freiman revelou que na verdade era "apenas alguém tocando Mellotron e usando o efeito de um violão flamenco".


Gostou? Então conta pra gente se você sabe de alguma curiosidade que não foi postada aqui.

Titãs anuncia lançamento de sua marca de cerveja


Mais uma banda ampliando seus portfólio de produtos. A onda agora é lançar marcas de cerveja com seu nome. Entrando no clube do quilate de Matanza, Velhas Virgens, Sepultura, Ratos de Porão e das internacionais Iron Maiden, Motörhead e AC/DC, agora é a vez dos dinossauros Titãs lançarem a sua.

Para comemorar os 30 anos de carreira, juntamente com a Cervejaria Colorado, que fica localizada em Ribeirão Preto, estampou seu nome em um rótulo de seu portfólio. De coloração forte e escura, com toque de laranja, teor alcoólico de 5,5% e doçura de média intensidade, o produto será comercializado a partir da próxima semana ao preço médio de R$ 23,90 a garrafa de 600 ml.

The Beatles White Album - 45 anos


Um dos discos mais emblemáticos de toda a carreira dos Fab Four completou no último dia 22 de novembro, 45 anos desde a data de seu lançamento. Eu tenho 36 anos bem vividos. Então, você já pode imaginar quanta coisa aconteceu nesse período.

O que não dava pra prever, é como esse disco de 30 faixas iria se tornar um clássico eterno entre os amantes do grupo (incluo-me aqui). Nessa época, os ares internos não eram lá essas coisas. Assim como um relacionamento a dois, a vida em uma banda principalmente nos Beatles, e naquela época, foi cheio de altos e baixos mas, principalmente a partir deste disco, as coisas não iam muito bem para o grupo.

Ansiedade, cansaço, tensão entre os integrantes, sessões de gravações relapsas e a presença constante de Yoko Ono, mulher de John Lennon, levaram o grupo a uma grande estafa. Cada um praticamente gravou seus instrumentos em estúdios separados.

Apesar dos pesares, o disco deve constar nas prateleiras de quem realmente é fã de música por música. Dear Prudence, While My Guitar Gently Weeps, Happiness Is a Warm Gun, Revolution 9 e todas as outras, marcaram o modo de pensar de muitas bandas de hoje em dia. 

E hoje, 45 anos depois, você ouve o disco de cabo a rabo e inspira-se em seu dia, em como ser  uma pessoa melhor, em como superar seus fracassos, seus medos e seus erros, tirar proveito disso e seguir em frente.

Obrigado Beatles. 

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Novidades para os fãs de Deep Purple


Qual foi o primeiro disco ao vivo que você ouviu em sua vida? O meu primeiro foi Live After Death, do Iron Maiden. Mas o que mais me impressionou, seja pela qualidade sonora ou mesmo pela importância que ele teve, foi o Made In Japan do Deep Purple.

E pra você que também se afeiçoa pelo disco, uma grande notícia. A Universal Group irá lançar em março de 2014 uma edição de aniversário do Made In Japan, que promete ser emocionante. Além do álbum original, o box conterá novos remixes de todas as três noites, um documentário sensacional e mais um livreto de 60 páginas com fotos raras, além de outras surpresas.

Portanto, vá preparando o seu psicológico para mais essa novidade.


Ouça "Ordinary Love", a nova do U2


Sem lançar nada inédito desde 2009, os U2 maníacos podem começar a enxergar uma luz no fim do túnel. A poucas semanas, um spoiler do filme chamado Mandela: Long Walk Freedom foi lançado e, junto com ela, um trecho de "Ordinary Love" do U2 foi divulgado.

Agora, a banda liberou a versão integral da música, acompanhada de um lyric video bem legal. Há rumores de que ainda este mês a banda deva liberar "Breath", que também vai integrar a trilha sonora do filme, e que em 2014, haverá um disco inédito da banda. O último foi  No Line In The Horizon (2009).

Enquanto não chega, vamos curtir repetidas vezes "Ordinary Love". 


quarta-feira, 20 de novembro de 2013

domingo, 17 de novembro de 2013

Sobre Beatles e Led Zeppelin


As duas bandas que mais influenciaram gerações. A primeira, surgida no começo dos anos 60, mudou toda a forma de pensar, agir, se vestir, falar, de ser, de tudo. Os precursores do marketing como banda. Os Fab Four, surgidos em Liverpool são a maior influência musical de qualquer, e eu digo qualquer músico que se preze. Incluindo o Led Zeppelin, que surgiu no finalzinho dos anos 60 e brilho nos anos 70.

O Led foi a primeira banda a usar marketing pesado. Foi a primeira banda a abusar de riffs que até hoje, junto com os Beatles, influenciam pencas de músicos. Foi a primeira banda milionária da história, a primeira que teve seu próprio avião, a que primeiro tocou em arenas.

A primeira acabou em 1970, a segunda em 1981. Mas nunca deixaram de presentear os fãs, sejam com regravações, com shows ou com material inédito. E por falar nisso, essa semana tivemos duas grandes notícias.

A primeira, é que os Beatles lançaram o diso "On Air - Live At BBC Volume 2", com material inédito. E junto com a lançamento, veio o primeiro vídeo clipe da banda, inédito em anos. É isso mesmo, um vídeo inédito, dá pra acreditar?

Trata-se de "Words Of Love" uma regravação de Buddy Holly que foi lançada no disco "Beatles For Sale" de 1974. E você assiste essa raridade logo abaixo:


Já sobre o Led Zeppelin, o mago Jimmy Page, detentor de um acervo inimaginável sobre a banda, anunciou esta semana que todas as reedições dos discos do Led Zeppelin trarão material inédito. Dá pra acreditar?

"Todo álbum foi remasterizado, mas também trará um disco acompanhando-o. Vamos usar um exemplo de 'Led Zeppelin III', que foi remasterizado do material analógico original. Eu sei que todos fazem isso, mas eles não fazem. Eu revisitei TODA a mixagem que foi feita naquela época. Há versões diferentes, por exemplo, há 'Since I've Been Loving You'- há uma versão incrível dela, que é totalmente diferente. É realmente crua em sua abordagem, bem dramática, bem legal. Este é um pequeno item, mas o que você recebe é um disco acompanhando 'Led Zeppelin III'. Ele vai sair em sua própria caixa e todo o resto. Cada disco vai dar uma imagem íntima do grupo. É uma ideia que eu tive e acho que vai ser um sucesso", conta Jimmy Page para Nick Home do TeamRock Radio.


Page também revela que completou seu trabalho no áudio do processo de relançamento: "Está tudo feito, todo o lado sônico. Ele vai sair ano que vem. Quando eu digo ele, cada um vai sair separadamente" comenta. Quando questionado se alguma destas reedições conterá material inédito, Page responde: "Ah sim. Não posso dizer o que é... deve ser uma pequena surpresa. Não posso entregar o jogo agora".

Mais uma vez o rock provando que ainda tem muita lenha pra queimar. Haja bolso pra tudo isso.


sábado, 16 de novembro de 2013

Especial: Dez filmes que deram nomes a bandas


Não é de hoje que muitas bandas, quando estão no começo de suas vidas musicais, acabam emperrando num fator simples, mas que pode fazer toda a diferença em sua carreira: o nome. E mutas bandas buscam inspiração em fontes diversas, como um livro, uma poesia, um instrumento de tortura e também em filmes.

Pensando nisso, o pessoal do BOL listou 10 bandas que tiveram seus nomes inspirados em filmes. Veja abaixo a lista completa:

Black Sabbath (1963)


O título do clássico italiano de terror, que tem no elenco Boris Karloff (o mago do terror), Glauco Onorato e Carla Mignone, foi aposta de Ozzy e sua trupe para tentar angariar público e fazer sucesso. O grupo, que no começo tinha uma pegada mais voltada para o Blues e já havia se chamado Polka Tulk Blues Band, Polka Tulk e Earth, já estavam cansados da onda hippie e resolveram chutar o balde, adicionando (por intermédio de Geezer Butler) peso e falando abertamente de ocultismo. A fórmula deu certo e originou o Heavy Metal.



Misfits - 1961


"Os Desajustados" (ou "Misfits", no original) foi o último filme do astro Clark Gable, que morreu duas semanas após as filmagens, vítima de ataque cardíaco. Com Marilyn Monroe e Montgomery Clift, o drama de sotaque "country" mostra uma divorciada desiludida que se aproxima de um grupo de cowboys desajustados. Tal "desajuste" serviu de inspiração para Glenn Danzig formar o Misfists, em 1977, banda inventora do chamado Horror Punk. A banda influenciaria mais tarde a banda Metallica.


My Bloody Valentine - 1981


O terror "B" canadense "My Bloody Valentine" segue a esteira de filmes como "Halloween" e "Sexta-Feira 13". A história trata das consequências de um terrível assassinato em massa de 22 pessoas, em pleno Dia dos Namorados. Famoso por ter tido cerca de 9 minutos de cenas violentas censuradas, o longa inspiroj a banda de rock alternativo irlandeda do mesmo nome.


Mudhoney - 1965


O polêmico filme de Russ Meyer (de "Faster, Pussycat! Kill! Kill!, que também deu origem a outra banda que foi sucesso nos anos 80/90, a Faster Pussycat) retrata um triângulo amoroso em 1933, época da grande depressão americana. Envolve traição, cobiça, fanatismo religioso e cenas de nu. O "mundo cão" retratado foi homenageado pela banda homônima de Seattle, uma das mais importantes do movimento grunge.


Alphaville - 1965


Na história distópica de Jean-Luc Godard, com Anna Karina e Eddie Constantine, o agente Lemy Caution é enviado à uma cidade futurista para tentar destruir o computador Alpha 60, que aboliu os sentimentos da população. Vinte anos depois do filme, o nome da cidade foi resgatado pela banda alemã de synthpop Alphaville, de hits como "Forever Young" e "Big In Japan".


Bad Company  - 1972


No longa, Barry Brown e Jeff Bridges encarnam uma dupla de jovens que foge do serviço militar durante a guerra civil americana para tentar uma nova vida. Com pitadas de crítica política, o westerns de Robert Benton inspirou a banda formada por Paul Rodgers em 1973, após deixar o Free.


The Damned - 1969


A produção ítalo-germânica é conhecida como a primeria da "trilogia alemã" do cineasta Luchino Visconti, qeu depois filmaria "Morte em Veneza"(1971) e "Ludwig" (1973). Durante a era nazista, uma família aristocrática empreende uma verdadeira guerra interna para chegar ao poder. Na Londres cinza de 1976, o punk toma o título emprestado pelo grupo "The Damned", do vocalista David Vanian.


The Mission - 1986


Estrelado por Robert De Niro, o drama histórico britânico tem como protagonista Rodrigo Mendoza, um violento mercador de escravos espanho, que mata o próprio irmão na disputa pelo amor da mulher. No mesmo ano, Wayne Hussey e Craig Adams, egressos do The Sisters Of Mercy, formavam o gótico The Mission.


God Speed You! Black Emperor - 1976


O documentário japonês de 1976, dirigido por Mitsuo Yanagimachi, acompanha um grupo de motoqueiros com tendências nazistas pelas ruas de Tóquio, os "Black Emperors". Filmado em preto e branco, originou a cultuada banda canadense de post-rock do mesmo nome.


White Zombie - 1932


O clássico "Zumbi Branco" (na versão nacional) é conhecido por ser o primerio a mostrar no cinema este tão querido morto-vivo. Na trama, Bela Lugosi interpreta um feiticeiro que revive os mortos para ter mão de obra em sua fábrica. Inspirado pelo filme, o vocalista Rob Straker montou a banda White Zombie em 1985. Mais tarde ele ainda mudaria o nome artístico para Rob Zombie.


E você, tem alguma sugestão de nome que não consta nessa listagem? Conte pra gente.

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

ABBA estuda em reunir-se em 2014, em comemoração aos 40 anos de banda


Que atire a primeira pedra quem nunca foi a um casamento e/ou festa de formatura que tocou alguma música do ABBA. O lendário grupo sueco, responsável por um sem número de clássicos da era Disco Music, começou a sua carreira pra valer em 1974, quando o hit "Waterloo" ganhou o concurso Eurovision.

De lá pra cá foram 8 anos de sucesso e reinado absoluto. Em dezembro de 1982 aconteceu a última aparição do grupo. Mas não por isso eles deixaram de ser sucesso, muito pelo contrário. Eles deixaram sua marca registrada para sempre no mundo da música. Super Trouper, Dancing Queen, Mamma Mia, Gimme! Gimme! Gimme! e uma série de outras músicas ainda hoje são tocadas insistentemente em festas, night clubs e rádios mundo afora.

E, prestes a comemorar 40 anos no ano que vem, o grupo estuda uma possível reunião, para comemorar os 40 anos de sua carreira.

"É claro que pensamos nisso! Existe a ideia de fazer algo para marcar este aniversário. Mas, no momento, não posso dizer o que acontecerá", declarou Agnetha Faltskog (63) para o semanário Welt Am Sonntag. O grupo foi formado em 1972 por ela e Bjorn Ulvaeus, que mais tarde tornaria-se seu marido. O último disco do grupo foi The Visitors, que vendeu 380 milhões de cópias mundo afora.

Seria legal ver o grupo na ativa de novo, matando a saudade de muita gente por aí.




Ghost B.C.: Ouça EP de covers na íntegra


Ontem postamos que a Ghost B.C. vai lançar no próximo dia 19/11 o EP de covers intitulado "If You Have Ghost", que foi produzido por Dave Grohl.

Agora, o EP está liberado para audição completa, e você já pode ouvi-lo abaixo. Enjoy!



terça-feira, 12 de novembro de 2013

Ghost B.C. vai lançar EP de covers


E vai se chamar If You Have Ghost, com lançamento previsto para o próximo dia 19 de novembro via Loma Vista. O EP trará quatro covers e uma versão ao vivo de "Secular Haze", do disco Infestissumam.

A banda regravou "If You Have Ghosts", de Roky Ericsson, "I'm A Marionette", cover do ABBA, "Crucified" do grupo Army Of Lovers e "Waiting For The Night" do Depeche Mode. Quem produziu o disco foi o sempre ativo Dave Grohl, que já tocou em diversos shows da banda, como um Nameless Ghoull. Nos links acima, você pode ver o site oficial da banda e a música original.

E, para já ir entrando no clima, o grupo disponibilizou "Crucified", que ganhou um belo arranjo e você ouve logo abaixo. Sonzeira.



segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Assunto mais comentado das redes sociais: O line-up do Lollapalooza


Desde que foi anunciado ontem no Fantástico, o assunto que não sai das redes sociais e da boca da galera é o Line-Up anunciado para o festival Lollapalooza, que já tornou-se itinerante em nosso país.

De casa nova, no autódromo de interlagos, o festival vai trazer nomes como New Order e Pixies, entre tantos outros que você nas imagens deste blog.

Os preços dos ingressos são: R$ 290,00 para um dia no 1o lote (vendas a partir do dia 21/11, com meia entrada a R$ 145,00); R$ 350,00 no 2o lote (R$ 175,00 a meia, vendas a partir do fim do 1o lote); R$ 540,00 o passaporte para os dois dia (R$ 270,00 a meia, Lollapass a partir do dia 19/11).


Particularmente eu esperava mais do festival esse ano. E vocês, o que acharam?

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Veja vídeo do Foo Fighters para primeiro show no México


O Foo Fighters divulgou um vídeo, para divulgar o primeiro show de sua carreira no México, no próximo dia 13 de novembro. E em se tratando de Foo Fighters, o o vídeo é cheio de graça.

Com a participação de Erik Estrada, que ficou conhecido por ser um dos Chips, uma série dos anos 70, o vídeo mostra cada um sendo "convocado" para o retorno ao trabalho.

Abaixo você vê como ficou.


Veja vídeos da Kiss Kruise III


O Kiss Kruise III, o cruzeiro organizado pelos mascarados e marketeiros do Kiss, esse ano teve uma novidade. O Kiss surpreendeu a todos tocando pela primeira vez em sua carreira as músicas "Almost Human" (do disco Love Gun de 1977), "The Oath" (do disco Music From The Elder de 1981) e "Mainline" (do disco Hotter Than Hell, de 1974).

"Quando você toca em lugares menores, você fica mais próximo dos fãs mais 'hardcore'. E surpreendê-los tocando músicas que nunca foram executadas e em um cruzeiro, é algo que podemos fazer, diferente de tocar em arenas para milhares de pessoas", diz Paul Stanley.

Veja abaixo as três músicas, muito legal.




quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Lou Reed: 20 músicas essenciais da lenda do rock


Lou Reed, que faleceu no último domingo, deixou uma grande obra registrada. Porém, muitas pessoas ainda não conseguem entender o tamanho de sua influência no rock. Só pra se ter uma ideia, sem ele o "punk" como conhecemos hoje em dia e todas as suas vertentes nunca existiriam.

Para você que ainda tem uma "pulga" atrás da orelha com ele, a Rolling Stone publicou um guia com 20 músicas para melhor conhecer a obra de Lou Reed. Acomode-se na cadeira, procure saber além das músicas citadas, pesquise e veja o porque ele é um dos maiores músicos da história do rock. Boa viagem.

Depois de deixar o Velvet Underground, em 1970, Lou Reed foi trabalhar com o pai, em um escritório de contabilidade, como datilógrafo. Se ele nunca mais fosse tocar uma nota na vida, aqueles quatro discos feitos com os Velvets seriam o bastante para que ficasse estabelecido como um dos mais visionários compositores do rock. Por sorte (dele e nossa), Lou Reed continuou fazendo música por décadas. Selecionamos 20 músicas essenciais deste lendário animal do rock.

"I'm Waigint For The Man"

Um rock urgente do primeiro disco do Velvet Underground, lançado em 1967. A letra fala sobre um aida à cidade para comprar drogas. Com John Cale martelando um piano e Reed mostrando tudo aquilo que estabeleceria seu estilo: resistente, urbano, barulhento, tabu e poético.


"Sister Ray"

No segundo disco do Velvet, White Light/White Heat, Reed levou o grupo o máximo que ele podia com um som épico, barulhento e debochado. Dezessete minutos e meio improvisados, com letras sobre uma orgia de travestis cheia de drogas. Serviria como inspiração para inúmeras bandas nas décadas seguintes, mas, em 1968, quando o álbum foi lançado, o som dominante era psicodélico e os Velvets se destacaram, transformando-se em um gênero próprio.


"Pale Blue Eyes"

O outro lado do talento infinito de Reed para o veneno descarado era a capacidade de escrever lindas baladas como esta, que está no terceiro álbum do Velvet, lançado em 1969. A faixa já ganhou versões de R.E.M., Hole e Patti Smith - mas a original é ainda a melhor.


"Satellite Of Love"

De Transformer, álbum solo de Reed, produzido por David Bowie e Mick Ronson. É um conto de ficção-científica sobre infidelidade e voyeurismo, uma canção de ninar espacial ou um lamento alegórico? Já se passaram 41 anos e ainda é uma charada, envolta em melodia, dentro de um enigma.


"Walk On The Wild Side"

A mais famosa música de Reed, uma doce e nostálgica história sobre os travestis da comitiva de Andy Warhol chegando a Nova York e fazendo sexo oral no "quartinho dos fundos". O single, de Transformer, foi considerado transgressor, que é um pequeno milagre ter tocado nas rádios - e foi a única canção dele que chegou ao top 40 norte-americano.


"Vicious"

É uma famosa faixa de Transformer, muito por conta do verso "vicious / you hit me with a flower". A letra foi escrita a partir de uma conversa de Reed com Andy Warhol.


"Sad Song"

Muitos fizeram álbuns em Berlim. Mas o Berlim de Lou Reed serve de base para comparação todos os outros. Quando o álbum chega ao fim, com esta balada épica, "Sad Song", parece que todo o mundo estava em colapso e próximo do fim.


"Sweet Jane"

Esta versão ao vivo de uma das mais famosas faixas do Velvet Underground (do álbum Rock 'n' Roll Animal) foi um marco para o rock de rádio por muitos anos, por causa da longa introdução. Nela, os guitarristas Dick Wagner e Steve Hunter mostram como é possível que duas guitarras trabalhem juntas, sincronizadas em perfeição.


"Metal Machine Music"

Uma das ações mais hostis que um músico já fez contra o público e a gravadora; em 1975, depois de lançar o disco mais bem-sucedido em vendas, Sally Can't Dance, ele lança um álbum recheado de distorção e barulho. MMM inspirou um dos melhores textos do critico Lester Bangs, que disse: "humanos sencientes vão achar impossível não sair da sala em que este disco estiver tocando".


"Street Hassle"

Esta mini-opera rock (do álbum Street Hassle, de 1978), começa apenas com cordas de orquestra, até se transformar aos poucos em uma banda de rock completa; é um conto sobre luxúria, morte, misoginia e mentiras - e incluie um monólogo interpretado por Bruce Springsteen, que não foi creditado.


"The Day John Kennedy Died"

Após anos se posicionando como um esquisito antissocial do rock, Reed fez The Blue Mask, em 1982, e se declarou, contra todas as probabilidades, um sujeito normal. Esta faixa sobre 22 de novembro de 1963 é um conto bem-observado a respeito da realidade mundana da morte.


"Waves Of Fear"

Em The Blue Mask, Reed encontrou algo que lhe faltava, musicalmente, por muitos anos: o guitarrista Robert Quine, que crescera com bootlegs de shows do Velvet Underground. A faixa é composta por 4 minutos impressionantes de psicose pura.


"I Love You, Suzanne"

Em New Sensations (1984), Lou Reed entrou na pele do cantor pop divertido e se deu bem no papel.


"Strawman"

O disco de 1989 Nova York foi um retorno à velha forma: com histórias sobre o lado sórdido da cidade, com a companhia de uma guitarra musculosa. "Strawman" é uma das mais raivosas e melhores do álbum, com versos sobre as desigualdades da sociedade.


"Hello It's Me"

Reed se reuniu com o companheiro John Cale, do Velvet Underground, em 1990, para fazer o álbum Songs For Drella, um excelente disco em homenagem ao mecenas dele, Andy Warhol.


"Egg Cream"

Não uma música sobre um sujeito tendo uma crise nervosa, mas sobre fazer creme de ovos. De Set The Twilight (1996), esta faixa doce traz a nostalgia do Brooklyn com uma clássica guitarra de Reed.


"Perfect Day"

Em 1997, a BBC pagou por uma cover cheia de estrelas de "Perfect Day", canção lançada originalmente no single "Walk On The Wild Side", mas que ganhou popularidade após aparecer no filme Trainspotting. O clipe traz Bono, Elton John, Emmylou Harris, Shane MacGowan, do Pogues. Ficou em primeiro lugar na Inglaterra.


"Like A Possum"

A melhor faixa de Ecstasy, disco de Lou Reed de 2000, esta música de 18 minutos mostra um artista no limite de suas necessidades animais.


"The View"

O disco Lulu, lançado em 2011, é uma colaboração com o Metallica e foi a obra mais polêmica dele desde que escreveu uma música para o comercial da Honda. Mas as melhores faixas são viscerais e pesadas, mostrando que, mesmo aos 69 anos, Reed ainda era implacável.


"Dirty Blvd." / "White Light White Heat"

Em 1997, no quinquagésimo aniversário de David Bowie, Reed subiu ao palco com o velho amigo para tocar "Dirty Blvd" (single de New York) e "White Light / White Heat" (faixa-título do segundo álbum do Velvet e parte do repertório de Bowie por muito tempo).


Com esse breve dossiê é possível entender, mesmo que brevemente, o trabalho de Lou Reed. Gostou?

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

John McVie é diagnosticado com câncer


Nesse final de semana, fomos acometidos de uma notícia muito triste. O mestre Lou Reed nos deixou, deixando uma lacuna em nossos corações. Agora, outra notícia triste: John McVie, o eterno baixista da Fleetwood Mac foi diagnosticado com câncer.

A banda, que faria uma série de shows pela Austrália e Nova Zelândia, pronunciou-se: "Sentimos muito por não podermos tocar nas datas marcadas na Austrália e Nova Zelândia. Espero que todos os nossos fãs nesses países assim como do mundo todo se juntem a nós ao desejar o melhor para John e sua família."


Estamos na torcida John.


domingo, 27 de outubro de 2013

Aos 71 anos, morre guitarrista Lou Reed, líder do Velvet Underground


Morreu neste domingo (27/10), aos 71 anos, o guitarrista e compositor norte-americano Lou Reed, de acordo com informações da Rolling Stone. A causa da morte ainda não foi divulgada, mas o músico se submeteu a um transplante de fígado em maio deste ano.

Em março, Laurie Anderson, mulher do músico, falou sobre a condição de saúde do marido. "É tão sério quanto parece. Ele estava morrendo. Você não quer isso como diversão", afirmou.

+RIP+ Mr. Ree, continue a brilhar onde quer que esteja. E muito obrigado por tudo.


segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Sobre o Monsters Of Rock 2013


Eis que, após 15 anos de hiato, um dos maiores festivais de rock do planeta resolveu dar às caras em terra brasilis, e logo após o mega festival Rock In Rio. O que irei escrever aqui, é um breve relato do que eu vi e acompanhei em blogs parceiros e sites especializados.

Pra começo de conversa, uma salva de palmas para o Canal Multishow, que vem dando cobertura nos mais diversos eventos que estão acontecendo. Rock In Rio, shows "solo", Circuito Banco do Brasil, Monsters Of Rock.

Bom, ao que tudo indica, a organização foi nota 10, seja em questões de horários, na escolha do cast para o festival, tendas com alimentação, público (cerca de 30 mil em cada dia), a XYZ Live, produtora do evento, se mostrou praticamente impecável nesta nova edição do festival.

Os dias eram bem distintos, separados por bandas mais atuais e velhas conhecidas do público. No primeiro dia tivemos Hatebreed, Limp Bizkit (que levantou a galera), Korn (um dos melhores shows do evento) e Slipknot, sempre um show a parte. Menção honrosa para o Killswitch Engage.


No domingo as coisas foram meio esquisitas. Apesar de ser um ícone do Hard Rock oitentista, a Dokken deixou a desejar, muito pelo seu vocalista, Don Dokken, que em nada lembra aquele cara dos início dos anos 80 e seu vocal arrebatador. O mesmo vale para o Whitesnake que, apesar de ter uma banda f*** demais, o velho conhecido Mr. David Coverdale já não é mais o mesmo. Visivelmente acima do peso e com maquiagem carregada, chegou a ser meio deprimente vê-lo no palco. Mas Whitesnake é Whitesnake, apesar dos pesares.

O Buckcherry fez um show modesto, assim como o Ratt. Muito se deve a dupla de guitarristas Warren De Martini e Carlos Cavazzo (ex-Quiet Riot) que usaram e abusaram de seus instrumentos. O mesmo não pode ser dito de Stephen Pearcy, visivelmente apático, talvez pelos excessos de consumos excessivos quando o RATT estava no auge.

Não tenho nada a acrescentar no show do Fakensryche, que foi simplesmente o pior do festival. Geoff Tate deveria saber a hora de parar. Som morno, sem sal, mesmice o tempo inteiro. Não à toa que eu peguei no sono logo na terceira música. 


Por fim, tivemos o Aerosmith, que prova que ainda tem muita lenha pra queimar. O Black Sabbath havia sido sondado para ser o headliner do segundo dia do festival, mas não foi possível devido as agendas que já haviam sido programadas para eles. Então os organizadores acertaram na escolha do Aerosmith, que desfilou mais de 2 horas de clássicos. Não podemos deixar deixar de mencionar que Mr. Steven Tyler já tem 65 anos, e deixa muito vocalista por aí no chinelo (Axl Rose, se a carapuça lhe serviu...)

No fim das contas, o saldo é mais do que positivo, mostrando que sim, há público para Hard Rock e Heavy Metal em nosso país. Parabéns a toda a organização do evento e esperamos que o festival seja itinerário daqui pra frente.